<i>O Sol</i>, de Sokúrov, integra hoje programação da Mostra

Talvez o filme mais interessante paraver nesta terça-feira na Mostra seja O Sol, do russo AlexandrSokúrov. Ele completa, segundo o diretor, sua trilogia dedéspotas, que começou com Hitler e Lênin. Claro, politicamentenão dá para levar Sokúrov a sério, pois escolhe seus déspotas adedo enquanto mostra-se extremamente tolerante (quando nãonostálgico) em relação ao czarismo - basta ver A Arca Russa,notável sob outros aspectos. Em todo caso, o seu imperador Hiroito (Issey Ogata) deO Sol pouco lembra um tirano e sim um pobre adultoinfantilizado e distante do mundo real. Hiroito é visto no ocasoda guerra, quando o Japão precisa capitular e ele, renunciar àsua condição divina, por exigência dos americanos. Seria a formade mantê-lo como figura simbólica, decorativa na verdade, em umpaís ocupado. O que fica do filme é o senso de minúcia de Sokúrov, otrabalho com a imagem inquietante (ele próprio faz a direção defotografia) e sua habilidade para trabalhar em ambientesclaustrofóbicos, os bunkers onde se abrigam seus "déspotas". Orelacionamento com o general MacArthur (Robert Dawson), oreencontro com a imperatriz, a possibilidade de entrar emcontato com uma vida normal, sem o fardo da divindade, fazem deHiroito um personagem humano, demasiado humano. Tem, sob a lentede Sokúrov, a densidade de uma figura histórica, mas também afragilidade de um mortal. Para quem não conseguir ou não quiser visitar o Hiroitode Sokúrov, há uma dupla atração na programação desta terça-feira naMostra: a ficção Still Life (17h30 no Cinesesc) e odocumentário Dong (22h10 no Arteplex 3) do chinês Jia Zhang-Ke. Documentário e ficção - duas modalidades de um mesmo real,filmados na mesma locação: o Vale das Três Gargantas, onde umavasta extensão de terra foi alagada para a construção de umdique. Alguns milênios de história foram, literalmente, águaabaixo e as populações locais perderam suas casas e suaidentidade cultural. Num filme, como no outro, Zhang- Keescancara o preço a pagar pela inserção acelerada da China nomercado global. Still Life ganhou o Leão de Ouro no Festivalde Veneza deste ano. O Sol. (2005, 110 min.) - Espaço Unibanco 1. Rua Augusta, 1.475 (11) 288-6780. Hoje, 20 h. Sala UOL. Rua Fradique Coutinho, 361 5096-0585. 4.ª, 21h50

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.