Interpol mantém ordem de busca de Polanski

Polícia internacional alerta que cineasta é objeto de 'nota vermelha' a pedido das autoridades americanas

EFE,

26 de novembro de 2009 | 18h29

A Interpol (Polícia internacional) anunciou nesta quinta, 26, que mantém a ordem de busca do cineasta franco-polonês Roman Polanski, apesar de sua libertação pelo pagamento de uma fiança na Suíça, onde deve cumprir prisão domiciliar até que as autoridades locais se pronunciem sobre sua extradição para os Estados Unidos.

 

"Após a decisão do Ministério de Justiça suíço de libertá-lo depois do pagamente de uma fiança, a Interpol lembrou, em uma circular enviada a seus 188 países-membros, que (o cineasta) continua sendo objeto de uma 'nota vermelha' emitida a pedido das autoridades americanas", indicou o organismo, em comunicado.

 

A "nota vermelha" é utiliza para "pedir detenção provisória em vista de uma extradição de indivíduos procurados" e "está baseada em um mandato de detenção ou em uma decisão da Justiça", afirmou.

Polanski, que está preso desde 26 de setembro, dia em que chegou a Zurique, poderá deixar a prisão depois que as autoridades suíças concederam liberdade a ele depois do pagamento de uma fiança de 3 milhões de euros.

 

O cineasta deve cumprir prisão domiciliar até que seu processo de extradição para os Estados Unidos seja concluído, pelo crime de abuso sexual cometido em 1977.

Tudo o que sabemos sobre:
Polanski

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.