Patrick T. Fallon/Reuters
Patrick T. Fallon/Reuters

Iniciativa 'Time’s Up' pede às mulheres para vestir preto no Globo de Ouro

A campanha Time’s Up e o uso do vestido preto como forma de protesto são importantes “porque há muitas mulheres que não têm a chance de falar”, diz Mary J. Blige

Ryan Pearson, Associated Press

04 Janeiro 2018 | 20h42

PALM SPRINGS - Gal Gadot, Saoirse Ronan, Mary J. Blige e Allison Janney se vestirão de preto na cerimônia de premiação do Globo de Ouro no domingo, 7, como parte do planejado protesto contra o assédio sexual. Todas elas respaldaram a nova iniciativa, Time’s Up, expressando seu apoio às mulheres que se queixam abertamente de abusos sofridos.

“Sou uma delas e estou ao lado dessas mulheres e as apoio”, afirmou Mary J. Blige na terça, na entrega de prêmios do Festival Internacional de Cinema de Palm Springs. Blige foi indicada para o Globo de Ouro de coadjuvante por seu papel em Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississipi.

Segundo ela, a campanha Time’s Up e o uso do vestido preto como forma de protesto são importantes “porque há muitas mulheres que não têm a chance de falar e que são de outros setores que não o cinematográfico ou o de música. É importante levantarmos em sua defesa para elas poderem se expressar”.

Allison Janney garantiu: “Acho que essa manifestação é poderosa. Estarei usando um vestido preto e orgulhosa de me apresentar ao lado de outras atrizes”. Janney foi indicada para o prêmio de atriz coadjuvante em I, Tonya, e está junto com Reese Witherspoon, Shonda Rhimes, Jennifer Aniston e centenas de outras mulheres de Hollywood à frente da iniciativa Time’s Up, lançada na segunda, 1.º, com uma carta aberta prometendo apoio às mulheres do setor de entretenimento das faxineiras às enfermeiras.

A organização, que se ligou ao movimento MeToo, abrange um fundo de defesa legal e vai propor nova lei de combate ao assédio no ambiente de trabalho. Time’s Up também fez um apelo às mulheres para se vestirem de preto em sinal de solidariedade com as que foram abusadas, durante a cerimônia de entrega do Globo de Ouro.

Nos últimos meses, dezenas de homens foram acusados de assédio sexual, entre eles Harvey Weinstein, Charlie Rose, Kevin Spacey e Brett Ratner

Holy Hunter disse que o momento da solidariedade é agora e será em preto. “Isso é poderoso e só pode ser conseguido se voarmos em formação, nos unirmos e agirmos como uma entidade única”, afirmou.

TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.