Indicações dividem moradores de Cidade de Deus

As indicações ao Oscar de Cidade de Deus despertaram reações distintas entre os moradores da comunidade carioca onde foi filmada a produção, que retrata a violência nas favelas do Rio. "Tem sido uma grande vergonha para nós. O filme manchou nossa vizinhança, retratando apenas aspectos negativos, como a violência e as drogas. Não temos nada para celebrar", disse Alexandre do Rego Lima, presidente da Associação de Moradores da Cidade de Deus. Para ele, muitos dos habitantes têm tentado viver uma vida digna, e o filme "não nos representou de modo correto".Já Leandro Firmino da Hora, que interpreta o líder de uma gangue no filme e mora na favela, disse que Cidade de Deus "retrata fatos da vida real que, infelizmente, ainda acontecem". O ministro da Cultura Gilberto Gil também comemorou as indicações, "um feito extraordinário para o cinema brasileiro, que marca definitivamente a presença do Brasil no mercado cinematográfico internacional". "Nós temos indicações do cinema mesmo como arte e como indústria. É uma grande notícia", disse o ministro.Campanha - Candidato aos troféus de melhor direção, roteiro adaptado, fotografia e montagem, Cidade de Deus será relançado em pelo menos 500 salas dos EUA. O filme é uma das grandes apostas da Miramax no Oscar, já que seu Cold Mountain, com Nicole Kidman, ficou de fora da briga pelos principais prêmios. No Brasil, Cidade de Deus também vai voltar ao cartaz, no dia 6, com duas cópias em São Paulo e Rio.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2004 | 10h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.