Iñárritu mostra "Babel" no Festival do Rio

O mexicano Alejandro González Iñárritu foi a grande atração internacional de segunda-feira no Festival do Rio, mostrando à noite, numa sessão de gala no Cine Odeon BR, seu novo filme, "Babel", que lhe deu o prêmio de direção em Cannes, em maio. Babel talvez seja o filme que Fernando Meirelles quisesse realizar, desde que anunciou seu projeto de refazer, para o século 21, o clássico "Intolerância", de David W. Griffith, nos primórdios do cinema mudo. "Babel" discute o mundo globalizado por meio de cenas desenroladas em três continentes - Ásia, África e na fronteira México/EUA. O roteiro arma um mosaico mostrando como um acontecimento aqui tem desdobramentos (e origem) em outras partes do mundo. É impactante a uma primeira visão, mas é o tipo do filme que revela o artifício de sua construção dramática, quanto mais se pensa nele.O festival beneficiou-se enormemente do mau tempo, no fim de semana. Com sol e calor, o carioca corre para a praia. Com chuva e frio, mesmo relativo, as pessoas correram para o cinema. Existem aqueles filmes que atraem o grande público. Existem as descobertas que cada festival proporciona. Guarde esse título - "Quatro Minutos". O filme de Chris Kraus integra a mostra Expectativa 2006. Conta a história dessa ex-pianista que virou professora numa penitenciária feminina e descobre, entre as detentas, uma mulher que foi uma grande artista do piano. Ela tenta lhe devolver a carreira interrompida. Poderia ser babaca. É forte e a tensão entre as duas mulheres mantém o espectador em suspense.Robert Altman lotou o Cine Palácio com "A Última Noite", no domingo, com seu filme que reflete sobre a decadência da América a partir de um show de rádio que sai do ar. Meryl Streep canta e isso já é um atrativo e tanto, mas está cada vez menos estimulante ver o grande diretor soltar sua câmera entre diversos personagens. Ele é hábil, sem dúvida, mas é fórmula, como qualquer outra. O chileno-mexicano-francês Alejandro Jodorowski é muito mais denso (e intenso) em "A Montanha Sagrada", na minirretrospectiva a ele dedicada. Já dá para ficar com água na boca esperando seus outros filmes anunciados - "El Topo" e "Fando e Liz".

Agencia Estado,

26 de setembro de 2006 | 13h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.