<i>Lady Chatterley</i> e <i>Ne le Dis à Personne</i> brilham no César

Os filmes Lady Chatterley, adaptação do famoso romance de D.H. Lawrence sobre um amor proibido, e Ne le Dis à Personne foram neste domingo os grandes vencedores da 32.ª edição do prêmio César, o "Oscar francês".Dirigido por Pascale Ferran, Lady Chatterley foi coroado como o melhor filme francês de 2006. "Recebemos esta noite o mais belo dos César, já que recompensa toda uma equipe", disse Ferran ao receber a estatueta.A adaptação desse clássico da literatura levou outros quatro prêmios: o de melhor atriz, para Marina Hands, e os de melhor roteiro adaptado, figurino e fotografia.Ne le Dis à Personne, uma adaptação do romance de Harlan Coben sobre um homem perseguido pela lembrança de sua mulher, vítima de um assassino em série, também recebeu quatro prêmios César, incluindo o de melhor Diretor para Guillaume Canet, de 33 anos. Este thriller, que já foi visto por quase três milhões de espectadores, é o segundo longa-metragem do diretor. Além disso, recebeu o César de melhor ator, para François Cluzet, assim como os de edição e de música.Miss SunshineO filme Pequena Miss Sunshine, dos americanos Jonathan Dayton e Valérie Faris, ganhou o César de melhor filme estrangeiro, deixando para trás Volver, do espanhol Pedro Almodóvar, e Babel, do mexicano Alejandro González Iñárritu.Pequena Miss Sunshine, que foi visto por um milhão de espectadores na França, venceu também A Rainha, do britânico Stephen Frears, e O Segredo de Brokeback Mountain, do taiwanês Ang Lee.Almodóvar, que entregou a estatueta da melhor atriz à protagonista de Lady Chatterley, aproveitou para agradecer ao público francês por lotar as salas de cinema para assistir a Volver.González Iñárritu, diretor de Babel, não viajou para Paris e preferiu aguardar pela cerimônia do Oscar, que acontece neste domingo. Babel concorre, entre outras, nas categorias melhor filme e melhor direção no Oscar.O filme Dias de Glória, de Rachid Bouchareb, que brigava pelo título de melhor filme francês de 2006, recebeu o prêmio de melhor roteiro original.Mais prêmiosOs outros dois indicados ao César de melhor filme foram Je Vais Bien, Ne t´en Fais Pas, de Philippe Lioret, que recebeu dois prêmios (ator coadjuvante e atriz estreante), e Quand J´étais Chanteur, de Xavier Giannoli, que conseguiu a estatueta de melhor som, e cujo protagonista, Gérard Depardieu, voltou para casa sem o prêmio da melhor ator.Valérie Lemercier, que apresentou a cerimônia no Teatro Chatelet de Paris, recebeu o prêmio de melhor atriz coadjuvante por seu papel em Fauteuils D´orquestre.Praticamente todos os gêneros estavam na disputa este ano, o que foi bom para as produções francesas, que com mais de 84 milhões de espectadores viveram seu melhor período em mais de duas décadas.Houve ainda homenagens póstumas a grandes nomes do cinema francês, como Philippe Noiret e Gérard Oury, que morreram no ano passado, e prêmios César de honra para o ator britânico Jude Law e a francesa Marlène Jobert.No total, 20 prêmios foram distribuídos esta noite, incluindo o de melhor documentário, que ficou com Dans la Peau de Jacques Chirac, sobre o presidente francês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.