Igreja Católica produz filme sobre aids na Índia

A primeira impressão que se tem ao observar o filme é a de que se trata de outra típica produção de Bollywood, a indústria de cinema indiano. Há um baile de movimentos sensuais e o herói e a heroína correm juntos debaixo da chuva.Mas Aisa Kyon Hota Hai? (em português, algo como Por Quê Isto Ocorre?) é único. Pela primeira vez, a Igreja Católica Apostólica Romana da Índia produz um filme de ficção que enfoca os temas sexo seguro e a harmonia entre religiões distintas.O sacerdote Dominic Emmanuel, roteirista do filme e porta-voz da arquidiocese de Nova Déli, explicou que é uma maneira nova que a igreja está utilizando para entreter seus fiéis. "O cinema não é somente o meio de comunicação mais popular na Índia, mas também o que está ao alcance de todos", disse Emmanuel. A Igreja Católica espera reforçar a mensagem que as relações a longo prazo e o compromisso podem ajudar a prevenir contra a disseminação da aids."Não queríamos soar demasiadamente pregadores. Toda película sobre o vírus HIV sempre é chata", disse Emmanuel, que a princípio pensou em fazer um programa de televisão, mas logo mudou de idéia porque achou que um filme seria mais efetivo.Com mais de cinco milhões de casos de aids, a Índia ocupa o segundo lugar no ranking dos países mais afetados, ficando atrás apenas da África do Sul. As pessoas afetadas enfrentam muitos problemas, como as dificuldades para serem aceitas em escolas e hospitais que se negam a oferecer a elas um tratamento diferencial. Aisa Kyon Hota Hai?, cujo idioma é o hindu, custou cerca de U$S450 mil para ser produzido e tem estréia prevista para meados de fevereiro. "O filme teve uma aceitação bastante boa", contou Emmanuel. A Unicef e grupos cristãos contribuíram com os custos.No filme, a atriz Rati Agnihotri interpreta uma mãe solteira. O papel do filho, popular e desrespeitoso com as mulheres, ficou com o modelo e ator de Bollywood Aryan Vaid. Ele contrai, no longa, o vírus HIV. A trama consiste na luta contra a discriminação por ser portador da aids e aborda a harmonia das religiões hindu e muçulmana. O tema religioso se fez necessário em decorrência dos atritos entre hindus - maioria na Índia - e muçulmanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.