<i>A Estranha Perfeita</i>, um thriller sensual com Halle Berry

"É só entretenimento. Não é um filmeque tenha necessariamente um significado social." É a própria, ebela, Halle Berry quem resume e define seu mais novo filme, queestréia no Brasil: A Estranha Perfeita, com direção de JamesFoley (de Caminhos Violentos), em que vive uma linda einteligente repórter investigativa, Rowena Price, decidida adescobrir quem matou sua melhor amiga. A trama é clássica. A forma de investigar o caso, não. Para descobrir tudo sobre oprincipal suspeito, e poderoso da publicidade, Harrison Hill(Bruce Willis), ela constrói uma personalidade falsa na internet em que passa a flertar ora virtualmente (outras vezes nem tãovirtualmente assim) com o patrão (Sim. Ela arranja emprego naempresa do tal Hill). Dado curioso: este é o primeiro filme ater cenas rodadas no World Trade Center após o 11 de Setembro."Claro, sentimos o pesar de quem perdeu entes queridos ali. Masfiquei feliz em, de alguma forma, ajudar a devolver a vida aolugar", comenta a atriz. A Estranha Perfeita é interessante para observar operigo, e a tentação, que são as salas de bate-papo on line e oconfortável anonimato que elas nos permitem. "Não tenho muitotempo para fazer amigos na internet. Mas os que fiz foram pormeio do meu site oficial. Lá, eles entram,falam comigo, eu os encontro depois nas pré-estréias. É ótimo,mas isso é tudo", conta a atriz ao ser questionada se jáconheceu muita gente ou já se disfarçou de simples mortal nomundo virtual. Não acha arriscado a invisibilidade que ainternet pode lhe dar?"Acho! Há muita gente mal-intencionadapor aí. E há muitos segredos a serem mantidos também", diz,pedindo segredo sobre o fim do filme. "Se não, perde a graça,não é?" É. Perde-se a graça e o grande atrativo deste, que édefinido pelos produtores como um thriller sensual. De fato,sensualidade nunca vai faltar a Halle, que ganhou há pouco suaprópria estrela na Calçada da Fama em Hollywood. "Não tinhaimaginado que iria ficar tão emocionada! Mas, quando cheguei evi todos os meus amigos e tanta gente querida, desabei e chorei" conta. Mesmo depois de ter confessado à revista americanaParade que tentou se matar após a separação do jogador debeisebol David Justice, em 1997, ela parece ter encontrado ocaminho da felicidade conjugal (atualmente namora o modeloGabriel Aubry) e do equilíbrio. "Isso é muito importante parainterpretar uma mulher complexa como a Rowena. E adorointerpretar ?personagens torturadas.? Mas é preciso estarpreparada. O sucesso de uma mulher pode atrapalhar seurelacionamento e sua vida. Aprendi isso", diz ela, que encerrouas filmagens de Things We Lost in the Fire, de Susanne Bier,ao lado de Benício del Toro. Este, sim, a que tudo indica, vaisuprir a falta que os fãs de Halle estão sentindo de vê-la em umpapel de fato dramático e adulto. "Quando ganhei o Oscar (por AÚltima Ceia), dizia que sonhava trabalhar com um ator como ele.Consegui." A Estranha Perfeita (Perfect Stranger, EUA/2007, 109 min.) -Suspense. Dir. James Foley. 14 anos. Cotação: Ruim

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.