Hugh Jackman transforma abertura do Oscar em um musical

O astro da Broadway e do cinema Hugh Jackman, o primeiro não-comediante a apresentar a cerimônia do Oscar em mais de duas décadas, abriu os prêmios no domingo com um tributo musical aos principais filmes deste ano. Cantando e dançando, Jackman pôs seu talento à prova ao satirizar os competidores na categoria Melhor Filme --"Quem quer ser um milionário?", "Milk - A Voz da Igualdade", "O Curioso Caso de Benjamin Button", "Frost/Nixon" e "O Leitor". "Não vi 'O Leitor'. Eu ia ver depois, mas desisti", cantou, referindo-se ao filme aclamado pela crítica, mas ignorado pelo público. "Eu sei que tenho que ver 'O Leitor'. Fui ao cinema, mas tinha fila." No meio do número, Jackman carregou a atriz Anne Hathaway para o palco e os dois fizeram um dueto satirizando "Frost/Nixon". Os astros e estrelas presentes na cerimônia aplaudiram a apresentação de Jackman de pé. Os produtores do Oscar prometeram uma ruptura em relação ao formato usual, mas a canção de Jackman não teve piadas muito diferentes das que costumam ser feitas no início da cerimônia. Para o casal Brad Pitt e Angelina Jolie, indicados por "Benjamin Button" e "A Troca", Jackman disse: "não tenho uma piada para fazer sobre eles, mas, por contrato, sou obrigado a mencioná-los pelo menos cinco vezes durante a cerimônia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.