Reuters
Reuters

Hugh Grant retorna ao cinema com o longa 'The Rewrite'

Ator diz sempre ter sentido atração pelas comédias sobre fracasso

Patricia Reaney, Reuters

12 de fevereiro de 2015 | 15h44

O ator britânico Hugh Grant pode ser um dos mais bem sucedidos de sua geração, mas o protagonista do novo filme The Rewrite diz sempre ter sentido atração pelas comédias sobre fracasso.

Grant, de 54 anos, interpreta Keith Michaels, um roteirista de Hollywood divorciado que passa por uma fase difícil e encontra o amor e um novo sentido para a vida quando começa a dar aulas para evitar a falência.“É a história da salvação surpreendente de um homem”, disse Grant.

O tema do filme, que estreia em algumas salas de cinema dos Estados Unidos nesta sexta-feira, 13, foi relevante para o astro de Notting Hill, que é pai de três crianças. Ele sente ser importante fazer coisas que despertem o respeito por si mesmo.

“Ele perdeu o encanto e a autoconfiança”, opina Grant sobre seu personagem, “e descobre que há outras medidas nas quais basear a autoestima além do dinheiro e de sua posição na hierarquia de Hollywood. Neste caso, é a gratidão e a devoção de seus alunos”.

The Rewrite renova a parceria de Grant com o diretor e roteirista Marc Lawrence pela quarta vez e marca seu retorno como ator. Ele vinha trabalhando com a Hacked Off, uma organização de conscientização sobre as vítimas da imprensa, na esteira do escândalo de escutas telefônicas de um jornal na Inglaterra, do qual foi alvo.

“Precisava de um descanso da política. Minha vida é só isso agora”, explicou. “Achei que seria bom desaparecer durante dois meses e fazer um filme.” 

Grant lidera um elenco estelar que inclui Marisa Tomei na pele de uma mãe solteira e estudante universitária que se apaixona pelo professor.J.K. Simmons, favorito ao Oscar de melhor ator coadjuvante este ano por seu papel de professor de música tirânico em Whiplash, é o chefe do departamento de inglês da universidade.

Grant se sentiu atraído por Michaels, disse, por achar que comédias sobre fracasso são um terreno fértil para os personagens.“É bastante comovente – pessoas em um momento ruim da vida que lidam bem com isso e veem sua vida melhorar”.

Embora esteja feliz atuando no Hacked Off e planeje continuar com o grupo, ele declarou ser sempre bom voltar ao seu trabalho de antigamente.

“Foi divertido”, disse a respeito de The Rewrite, “e vou fazer de novo em maio (em um filme com) Meryl Streep”.

Tudo o que sabemos sobre:
CinemaHugh Grant

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.