Hollywood se rende a Steven Soderbergh

Ainda faltam três semanas para a cerimônia do Oscar, mas Steven Soderbergh já assumiu a vaga do diretor mais aclamado dos Estados Unidos. O homem responsável por Traffic e Erin Brockovich - Uma Mulher de Talento já tem engatilhado um novo sucesso garantido: o remake de Ocean´s Eleven, um clássico do Rat Pack de 1960, que vai ter George Clooney no papel que foi de Frank Sinatra, e ainda Julia Roberts como "bônus".Soderbergh tem tudo para sair da cerimônia do Oscar com algumas estatuetas. Com Traffic e Erin Brockovich, entrou na disputa de melhor filme e diretor. Nada mal para um diretor que é creditado por "inventar" o cinema independente americano, com sexo, mentiras e videotape, em 1989. A linguagem do filme foi considerada revolucionária e ele se tornou o mais novo diretor a ganhar a Palma de Ouro no Festival Internacional do Filme de Cannes. Estava com 23 anos e as portas abertas para realizar qualquer projeto no cinema.O que aconteceu, no entanto, foi uma seqüência de fracassos: Kafka, de 1991, King of the Hill, de 1993, The Underneath, de 1995, e Schizopolis e Gray´s Anatomy, de 1996. O sucesso comercial voltou a aparecer, ainda que de forma moderada, com Irresistível Paixão, estrelado por George Clooney e Jennifer Lopez. A crítica voltou a prestar atenção em Soderbergh em 1999, com O Estranho, sobre um ex-assassino de aluguel interpretado por Terance Stamp. Ele também foi ganhando espaço como produtor, ao assinar filmes como Um Dia em Nova York, de 1998, e Vida em Preto-e-Branco, de 1999.Agora, aos 38 anos, Soderbergh volta ao topo de Hollywood. Harrison Ford chegou a se oferecer para o papel de Michael Douglas em Traffic. George Clooney e Julia Roberts não tiveram dúvidas ao aceitar o convite para Ocean´s 11, que está sendo rodado atualmente em Las Vegas. O filme tem tudo para ser um grande sucesso de novo. A história sobre um grupo de 11 amigos que planeja assaltar cinco dos maiores cassinos da cidade em apenas uma noite tem charme de sobra e - o melhor - um orçamento de US$ 90 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.