Hollywood procura formas de tornar produções mais 'verdes'

Hollywood está "esverdeando" a tela grande, mas reduzir desperdícios, custos e consumo de energia numa indústria conhecida por seus grandes orçamentos e suas produções suntuosas não é fácil, mesmo no setor do cinema, que costuma criar tendências. Não é de hoje que Hollywood usa seus astros em favor do meio ambiente. Grandes nomes como Leonardo Di Caprio e Robert Redford são ambientalistas conhecidos, e o documentário premiado com o Oscar "Uma Verdade Inconveniente", de Al Gore, sobre o aquecimento global, é visto como responsável por levar o problema à atenção do grande público. Agora Hollywood está se esforçando para reduzir os danos ambientais causados por suas filmagens de cinema e TV, produções grandes mas temporárias. "Celebridades são ativistas ambientais há anos, mas os estúdios e as produtoras vêm hesitando em aplicar a filosofia verde a suas próprias operações comerciais", diz Zahava Stroud, da iHollywood Forum, que em dezembro vai promover a conferência "Hollywood Goes Green" (Hollywood adere ao verde). Analistas dizem que a implementação de soluções sustentáveis deve ajudar as empresas globais de entretenimento a melhorar sua lucratividade durante a queda econômica atual. Muitos estúdios hoje têm departamentos dedicados à redução de suas pegadas de carbono, e alguns já chegaram a oferecer incentivos a seus profissionais para que comprem carros flex. Mas o maior desafio é reduzir os excessos das grandes produções. "Ainda é preciso focar o processo de produção, em termos de consumo de combustível, eficiência energética, geração de resíduos e origem dos alimentos consumidos", disse Lauren Selman, executiva-chefe da consultoria Reel Green Media, que ajuda sets de filmagem a incorporar práticas ecológicas. Alguns críticos citam como maior problema da indústria o uso maciço de combustível e motores a diesel em suas locações. "Considere quanto combustível consumimos", escreveu a produtora de cinema e TV Judith James em Traction, uma publicação online voltada a mulheres em Hollywood. "Geradores, filmagens noturnas, 'locações distantes', caminhões por filmagem, caminhões ociosos, guindastes, transporte de pessoas, guarda-roupa, equipamentos, de ida e volta para o set, helicópteros." Shelley Billik, vice-presidente de iniciativas ambientais da Warner Bros, disse: "A infra-estrutura no interior do estúdio é mais condizente com diretrizes verdes, mas, quando a produção vai para locações, tudo fica mais difícil."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.