AFP PHOTO / Stephen Lovekin e Robyn Beck
AFP PHOTO / Stephen Lovekin e Robyn Beck

Hollywood critica pedido de desculpas de Kevin Spacey

Ator está sendo muito criticado por ter relacionado sua orientação sexual com a acusação de abuso

O Estado de S. Paulo

30 Outubro 2017 | 11h46

O pedido de desculpas de Kevin Spacey ao ator Anthony Rapp foi recebido muito mal pela comunidade artística internacional nas redes sociais. A decisão de Spacey de falar em público pela primeira vez sobre sua homossexualidade e dizer que provavelmente estava bêbado recebeu uma enxurrada de críticas, e o ator agora está sendo acusado de relacionar sua orientação sexual com violência e assédio.

+ Kevin Spacey pede desculpas por assédio e fala de sua sexualidade

Anthony Rapp revelou neste fim de semana ao site americano Buzzfeed ter sido assediado por Spacey em uma festa ocorrida em 1986. Rapp, então com 14 anos, e Spacey, com 26, se conheceram quando trabalhavam em peças na Broadway. O assédio teria ocorrido em uma festa na casa de Spacey. Em suas redes sociais, o ator pediu desculpas e disse que "hoje vive como um homem gay".

O ator afirma não se lembrar do ocorrido. "Se eu me comportei então da maneira que ele descreveu, eu lhe devo a mais sincera desculpa pelo que foi então um comportamento inapropriado de um bêbado, e sinto muito pelos sentimentos que ele diz carregar consigo por todos esses anos", diz a nota.

O escritor e roteirista Dan Savage foi um dos que criticaram o pedido de desculpas. "Não há bebida ou armário suficientes que desculpe ou explique molestar uma criança de 14 anos", escreveu.

A atriz Rose McGowan, uma das principais vozes a denunciar os casos de abuso sexual de Harvey Weinstein, também falou sobre Spacey. "Gay = Gay, Predador = Predador", disse no Twitter.

O apresentador Billy Eichner disse nas redes: "Kevin Spacey acabou de inventar algo que nunca existiu: um momento ruim para se assumir".

+ Expulsão de Harvey Weinstein da Academia de Hollywood levanta questões sobre outros nomes

O escritor Mark Harris escreveu: "Se assumir é uma parte bonita de ser gay. Relacionar isso com esse tipo de vileza é muito errado". O comediante Guy Branun acusou o ator de tentar fazer uma "cortina de fumaça de relações públicas".

Relatos de violência sexual no ambiente de trabalho em Hollywood têm se multiplicado desde o início do mês, quando mulheres denunciaram o produtor Harvey Weinstein. Só neste mês, outros grandes nomes da indústria do entretenimento também foram denunciados, como Val Kilmer, James Tobeck e agora Spacey.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.