Patrick T. Fallon/ Reuters
Patrick T. Fallon/ Reuters

Hollywood busca consultores de covid-19 para ajudar a manter estúdios seguros

A pandemia de coronavírus levou produtores, empresas de cinema e sindicatos de trabalhadores a procurar aconselhamento especializado sobre como reabrir com segurança estúdios de TV e filmes, que foram paralisados em março

Agências, Reuters

27 de maio de 2020 | 13h17

LOS ANGELES - Juntamente com cabeleireiros, operadores de câmeras e centenas de outras pessoas que fazem a mágica acontecer na TV e no cinema, Hollywood conta com um novo membro de apoio para futuras produções: consultores de covid-19.

A pandemia de coronavírus levou produtores, empresas de cinema e sindicatos de trabalhadores a procurar aconselhamento especializado sobre como reabrir com segurança estúdios de TV e filmes, que foram paralisados mundialmente em meados de março.

Eles buscam epidemiologistas e outros especialistas em saúde pública para fornecer estratégias detalhadas para lidar com grandes equipes que trabalham em espaços apertados, maquiadores que ficam cara a cara com estrelas, e atores que beijam, abraçam e brigam no set.



A paralisação afetou severamente o setor, além de cidades como Los Angeles, que se beneficiam economicamente com a produção. O reinício é importante para as empresas, incluindo Netflix, Walt Disney e outras que precisam de uma nova programação para atrair o público.

Enquanto os sets continuam vazios nos Estados Unidos, as produções estão voltando na Coreia do Sul, Austrália, Suécia e Nova Zelândia, onde Avatar 2, de James Cameron, será retomado nesta semana.

As pessoas que trabalham na indústria preveem equipes menores, testes regulares, desinfetante para as mãos em todos os lugares e o uso de imagens geradas por computador para criar grandes multidões na tela quando o trabalho for retomado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.