Walt Disney Studios
Walt Disney Studios

Hollywood anuncia grandes lançamentos para atrair volta aos cinemas

Estúdios preparam retomada com estreias de Velozes e Furiosos 9 e Cruella

Reuters, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2021 | 09h06

Os estúdios de cinema de Hollywood prometeram uma temporada com perseguições de carro cheias de adrenalina, explosões épicas e suspenses de roer as unhas para atrair plateias de volta às salas de projeção, que foram devastadas pelos longos fechamentos causados pela pandemia de coronavírus. Repetindo o slogan "a telona está de volta", atores, diretores e executivos deram prévias de filmes iminentes, um esforço de todo o setor para incentivar a ida aos cinemas agora que as vacinações aumentam e as restrições de segurança se amenizam no hemisfério norte.

"Só voltar ao cinema já é poderosamente bom", disse J.J. Abrams, diretor de Star Wars, diante de uma tela gigantesca do cinema da AMC Entertainment na cidade de Los Angeles. "Estar em uma sala grande e escura com estranhos, gritando, rindo e vivenciando o poder disso, é uma necessidade humana e natural. Acho que vai voltar com muita força." Mas céticos temem que os espectadores que devoraram conteúdos de streaming durante a crise da covid relutem em sair do sofá para ir a uma bilheteria.

Para atiçá-los, Hollywood lançará uma leva de filmes, como Cruella e Viúva Negra, da Walt Disney, Velozes e Furiosos 9, da Universal, o musical In the Heights, da Warner Bros. e muitos outros já nas próximas semanas.

Muitos dos filmes foram adiados por executivos de estúdios que esperavam poder aguardar o fim da pandemia e gerar renda com ingressos assim que a frequência aos cinemas recomeçasse - os estúdios precisam da receita das bilheterias para ajudar a compensar os custos das grandes produções.

Assista ao trailer:

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Hollywoodcinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.