Holandeses se despedem de Theo van Gogh

Cerca de 150 pessoas se reuniram hoje para o funeral do cineasta Theo van Gogh, cujo assassinato na semana passada, atribuído a extremistas islâmicos, deu início a uma onda de ataques a igrejas protestantes e mesquitas muçulmanas. Uma cerimônia particular, mas televisionada, aconteceu em Amsterdã, para o cineasta que tinha 47 anos. O corpo dele será cremado na tarde de hoje, uma semana depois de ele ter sido baleado e esfaqueado em uma rua central da capital holandesa.Desde o assassinato de Van Gogh, aparentemente motivado devido a seu filme Submission, que faz duras críticas à maneira como as mulheres são tratadas no Islamismo, algumas mesquitas têm sido atacadas, bem como centros de integração de imigrantes. A polícia está investigando ataques contra igrejas protestantes nas cidades de Utrecht e Amersfoort. Autoridades disseram que coquetéis molotov foram jogados nas igrejas, causando danos menores, sem deixar feridos. A morte de Van Gogh, chocou os holandeses, que se orgulham de ser parte do que eles consideram uma sociedade pacífica e aberta. O cineasta, parente distante do pintor Vincent Van Gogh, foi baleado diversas vezes e esfaqueado em uma rua de Amsterdã na semana passada. O assassinato aconteceu dois meses depois do lançamento de seu último filme, Submission, que os muçulmanos consideraram ofensivo ao Islamismo.Seis supostos radicais islâmicos estão sob custódia por estarem ligados ao caso, inclusive o acusado de ser o assassino, Mohammed Bouyeri, de 26 anos, que tem dupla cidadania, holandesa e marroquina.

Agencia Estado,

09 de novembro de 2004 | 16h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.