Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

'Hoje todo mundo é geek, mas ninguém percebeu', diz CEO da CCXP19

Pierre Mantovani fala sobre as expectativas para o evento que começa nesta quinta-feira, 5, em São Paulo

André Cáceres, O Estado de S.Paulo

04 de dezembro de 2019 | 07h00

De Maurício de Sousa aos Vingadores, o mundo da cultura pop se reúne em São Paulo esta semana para a 6ª edição da Comic Con Experience (CCXP) começa nesta quinta-feira, 5, já com seus ingressos esgotados. 

“Somos a maior Comic Con do mundo pelo terceiro ano seguido”, afirma Pierre Mantovani, CEO da CCXP. A lotação máxima foi atingida pela primeira vez este ano, demonstrando a evolução do evento criado em 2014. Esperando um público de 280 mil pessoas, a CCXP terá cerca de 100 mil pessoas a mais que a tradicionalíssima San Diego Comic-Con, feira criada em 1970 e que foi a inspiração para o evento brasileiro. 

Para Mantovani, a proporção que a CCXP tomou no País é um reflexo da própria sociedade: “Hoje em dia, todo mundo é geek, mas ninguém percebeu. Tem muito mais gente assistindo a séries, jogando videogames, do que vendo novela.”

Para atender a essa demanda, durante os quatro dias de evento, o público terá acesso a palestras de artistas estrangeiros e nacionais; oficinas de quadrinhos; discussões sobre o atual estado da cultura nerd, além de lojas e estandes com atrações de empresas e estúdios de cinema.

Alguns dos principais destaques da programação da feira são os painéis com os elencos de filmes aguardados, como Star Wars: A Ascensão Jedi e Mulher-Maravilha 1984

Séries de TV e streaming como The Boys (Amazon Prime Video), La Casa de Papel (Netflix) e His Dark Materials (HBO) também terão apresentações com seus elencos, provando a relevância desse formato para a cultura pop atualmente.

Como não poderia deixar de ser, no entanto, o coração da feira são os quadrinhos. No ano em que o Batman completa oito décadas, grandes nomes que contribuíram com o personagem, como Frank Miller, Neal Adams, Joelle Jones, Mikel Janin e Frank Quitely, terão painéis para falar sobre o Morcego. Entre os representantes brasileiros, Mike Deodato Jr., Rafael Grampá, Laerte, Rafael Coutinho e Joe Prado são alguns dos quadrinistas que devem palestrar. 

Embora a música não seja o foco do evento, os visitantes da feira também poderão conferir shows das bandas brasileiras Far From Alaska, Fresno, Supercombo e Scalene.

É esperado que a CCXP movimente ao todo R$ 265 milhões na cidade de São Paulo, o que chama atenção também para o impacto econômico da cultura de modo geral. “Se somar todas as indústrias que estão aqui, games, cinema, música, a economia criativa é muito grande e ainda há muita oportunidade de crescer, o Brasil deveria surfar mais nessa onda e investir em cultura”, acredita Mantovani.

A CCXP ocorre na São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, Água Funda) de 5 a 8 de dezembro de 2019, e fica aberta nos seguintes horários: quinta-feira e sexta-feira, das 12h às 21h. Sábado, das 11h às 21h. Domingo, das 11h às 20h. Fique por dentro da programação completa do evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.