Ettore Ferrari/ EFE
Ettore Ferrari/ EFE

'Hoje o mundo mais rico é pobre em sentimentos', diz Mujica no Festival de Veneza

Ex-presidente uruguaio é tema de dois filmes na Mostra de Cinema

Ansa

03 Setembro 2018 | 12h11

"Hoje o mundo mais rico é pobre em sentimentos." Com essa mensagem, o ex-presidente uruguaio José Mujica marcou presença nesta segunda-feira, 3, na coletiva de imprensa da 75ª Mostra de Cinema de Veneza. O político, que governou o Uruguai entre 2010 e 2015, é personagem de duas produções cinematográficas do festival. "Os ricos do mundo devem entender que existe a responsabilidade com os pobres e com a natureza. Vivemos em um mundo frágil", declarou.

Longe de se considerar uma estrela das telonas, ele é retratado em Uma Noite de 12 anos, do também uruguaio Álvaro Brechner, que concorre na sessão Horizontes. A produção remonta a experiência do ex-presidente na cadeia, detido em 1972 por pertencer à guerrilha dos Tupamaros, e liberado 13 anos depois. O longa estreou no festival no último sábado, 1º.

Já o diretor sérvio Emir Kusturica apresenta ao público El Pepe, Uma Vida Suprema nesta segunda-feira, 3. O documentário mostra a maneira de pensar e o modo de enxergar as coisas da figura, de 83 anos, que conquistou o Uruguai. O longa não participa do circuito de competição e foi produzido a partir de uma série de entrevistas feitas por Kusturica.

 

O diretor acabou se tornando amigo do ex-mandatário e conta que não foi fácil convencê-lo de viajar à Itália. "Se não vier a Veneza para a coletiva, eu também não vou", chantageou Kusturica. Então, Pepe, como agradecimento pelos dois filmes, prestigiou as produções no Lido. Durante seu mandato, Mujica se tornou um símbolo progressista no Uruguai e no mundo. Na Presidência, legalizou o casamento homossexual e a maconha, declarou guerra à pobreza e descriminalizou o aborto. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.