Luca Bruno/AP
Luca Bruno/AP

Herdeiros da Gucci estão preocupados com filme de Ridley Scott

Bisnetos do fundador da casa de moda de luxo pedem ao cineasta para respeitar o legado da família

Colleen Barry, AP

16 de abril de 2021 | 16h05

MILÃO - Os bisnetos de Guccio Gucci, que fundou a casa de moda de luxo que leva seu nome há quase um século em Florença, estão apelando ao cineasta Ridley Scott para que respeite o legado da família em novo filme que põe foco num assassinato chocante.

House of Gucci, estrelado por Lady Gaga e Adam Driver, é baseado num livro sobre o assassinato de um dos netos de Gucci, Maurizio, em 1995, e o subsequente julgamento e condenação de sua ex-esposa. Patrizia Reggiani, interpretada por Lady Gaga, cumpriu 16 anos de prisão por ter cometido o homicídio.

Uma das primas de segundo grau de Maurizio, Patrizia Gucci, está preocupada com o risco de o filme ir além da história real do crime que sempre atrai as manchetes e se intromete na vida privada dos herdeiros de Guccio Gucci.

“Estamos realmente desapontados. Falo em nome da família”, disse Gucci à Associated Press na quarta-feira. “Eles estão roubando a identidade de uma família para obter lucro, para aumentar a renda do sistema de Hollywood. Nossa família tem identidade, tem privacidade. Podemos conversar sobre tudo. Mas há um limite que não pode ser ultrapassado”.

Patrizia Gucci disse que procurou a esposa de Ridley Scott, Giannina Facio, para esclarecimentos sobre o escopo do filme, mas não recebeu qualquer resposta.

Facio se reuniu com membros da família Gucci no início dos anos 2000 para discutir outro projeto, que iria se concentrar nos papéis do pai de Patrizia Gucci, Paolo, e do avô, Aldo, na expansão da marca até se tornar um player de luxo global. O fato de a produtora não os ter procurado para falar sobre o novo filme só aumenta as preocupações da família, disse ela.

A produtora de Ridley Scott não respondeu aos pedidos de comentários, feitos também por meio de sua representante italiana.

Os Gucci não são a primeira família da moda italiana a lutar contra representações de eventos trágicos nas telas. A família Versace divulgou um comunicado em 2018 sobre a temporada de American Crime Story, de Ryan Murphy, que tratava do assassinato do fundador da casa de moda, Gianni Versace, dizendo que a série de TV não fora autorizada e deveria ser considerada “uma obra de ficção”.

Patrizia Gucci disse que a família decidirá o que fazer depois de ver o filme. Suas preocupações vão desde a escalação de atores para interpretar membros da família cujas histórias pouco se cruzam com o assassinato de Maurizio Gucci até a falta de contato com a produtora de Scott e as imprecisões que eles veem no livro em que se baseia o filme.

Al Pacino interpreta Aldo Gucci, que sua neta lembra como um vendedor experiente que abriu lojas Gucci na via Condotti de Roma e em Nova York, atraindo clientela VIP e expandindo o alcance global da marca. E Jared Leto interpreta Paolo Gucci, cujas contribuições criativas incluíram a ideia de criar o famoso logotipo duplo G da marca Gucci, bem como sua marca registrada de bolsas plastificadas e mocassins.

É essa história que ela conta em seu próprio livro, Gucci - A verdadeira história de uma dinastia de sucesso, publicado em italiano no ano de 2015.

Patrizia Gucci disse que as fotos de paparazzi do set de House of Gucci não foram nada tranquilizadoras.

“Meu avô era um homem muito bonito, como todos os Gucci, e muito alto, olhos azuis, muito elegante. Ele está sendo interpretado pelo Al Pacino, que já não é muito alto, e nessa foto ele aparece gordo, baixo, com costeletas, muito feio. É vergonhoso, porque o ator não se parece em nada com ele”, Patrizia Gucci disse.

Já o Paolo Gucci de Leto é apresentado com o cabelo despenteado e um terno de veludo cotelê lilás que não combina com as lembranças da filha.

“Horrível, horrível. Eu me sinto ofendida”, disse ela.

A família Gucci não está envolvida com a casa de moda Gucci desde 1993, quando Maurizio vendeu o restante de sua participação para a Investcorp, empresa que tem sede no Bahrein. Posteriormente, a marca foi comprada pelo grupo francês PPR, hoje Kering.

A casa de moda está cooperando com House of Gucci abrindo seus arquivos para a produtora de filmes utilizar roupas e acessórios. Salma Hayek, esposa do CEO da Kering, François-Henri Pinault, aparece no filme. Leto é amigo íntimo do diretor criativo Alessandro Michele. / Tradução de Renato Prelorentzou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.