Johannes Eisele / AFP
Johannes Eisele / AFP

Harvey Weinstein é acusado em Los Angeles por novos casos de estupro

Ao todo, o ex-produtor responde por estupro e abuso sexual de cinco mulheres em Los Angeles; se condenado, ele pode receber uma pena de até 140 anos de prisão

Agências, AFP

02 de outubro de 2020 | 18h06

Los Angeles, EUA - Harvey Weinstein, o magnata hollywodiano condenado em Nova York por estupro e assédio sexual, foi novamente acusado nesta sexta-feira, 2, pelo Ministério Público de Los Angeles de ter estuprado duas mulheres. 



As novas acusações são relacionadas a "um incidente ocorrido entre setembro de 2004 e 2005 no qual Weinstein supostamente estuprou uma mulher em um hotel de Beverly Hills", declarou a promotora de Los Angeles, Jackie Lacey. 

O ex-produtor de 68 anos também é "acusado de ter estuprado outra mulher duas vezes, em novembro de 2009 e novembro de 2010", em um outro hotel de Beverly Hills, acrescentou o comunicado, que não revelou a identidade ou detalhes sobre as vítimas.

Ao todo, Harvey Weinstein responde por estupro e abuso sexual de cinco mulheres em Los Angeles. Se condenado, ele pode receber uma pena de até 140 anos de prisão. 

Na Califórnia e em Nova York, Weinstein nega as acusações e garante que todas as relações sexuais das quais é acusado ocorreram de forma consensual. 

Em janeiro, ele foi acusado de forçar a entrada no quarto de uma mulher para estuprá-la, em 18 de fevereiro de 2013, de forma que também teria agredido outra no dia seguinte em um quarto de hotel em Beverly Hills. 

Depois, o ex-produtor foi acusado de agredir uma mulher, também em Beverly Hills, em maio de 2010. 

"Sou grata às primeiras mulheres que se apresentaram para denunciar esses crimes e cuja coragem deu força a outras para se apresentarem", ressaltou a promotora Jackie Lacey nesta sexta-feira. 

"A disposição das últimas vítimas em testemunhar contra um homem poderoso nos deu as evidências adicionais de que precisávamos para construir uma acusação", acrescentou. 

O escritório de Lacey iniciou um procedimento para a transferência de Weinstein - atualmente preso em Nova York após sua sentença de 23 anos recebida em março deste ano - para que ele possa ser julgado na Califórnia. 

Uma audiência sobre esse caso está marcada para 11 de dezembro, em Buffalo. 

Até o momento, quase 90 mulheres acusaram publicamente Harvey Weinstein de assédio, abuso sexual ou estupro. A maioria dos incidentes denunciados já prescreveram. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.