Gustavo Dahl é nomeado presidente da Ancine

Em companhia da mulher Ruth Cardoso, o presidente Fernando Henrique Cardoso abriu hoje os salões do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, para receber o futuro titular darecém-criada Agência Nacional de Cinema (Ancine), Gustavo Dahl, artistas, 25 cineastas e outros representantes do setor. Também estiveram presentes à cerimônia lideranças do PSDB e autoridades. O ministro da Cultura, Francisco Weffort, afirmou que a criação da Ancine responde a necessidade de encontro entre a política cultural e econômica do País, visões que na sua opinião não mais andam separadas. O ministro-chefe da Casa Civil, Pedro Parente, afirmou que o cinema ? assim como outras expressões culturais ? é um vetor importante para a estratégia de inserção nacional do País.?Entretenimento, em um mundo cada vez mais globalizado, mais que diversão, é negócio?, justificou. Segundo ele, o principal desafio daagência será alavancar a produção nacional, agregando-lhe qualidade e competitividade. ?O Brasil tem potencial para ser um grande produtormundial?, assegurou o ministro. A Ancine nasce vinculada à Casa Civil, mas daqui a um ano passará para o Ministério do Desenvolvimento.O presidente Fernando Henrique Cardoso espera ver a nomeação de ao menos uma mulher para a Ancine e disse também que gostaria de estarem representados no órgão todos os Estados brasileiros. ?Nós precisamos integrar o cinema brasileiro?, afirmou o político tucano durantesolenidade em que criou a agência. Na sua opinião, esta é mais uma medida com que seu governo acelera o processo histórico brasileiro,introduzindo mudanças importantes para o País. ?Prefiro ser mau sociólogo e acelerar o processo histórico, do que ser bom sociólogo eficar, simplesmente, vendo as coisas passarem?, acrescentou. ?Estamos, realmente, fazendo as coisas se transformarem?.Presidente - Gustavo Dahl, atual presidente do Congresso do Cinema Brasileiro (CBC), disse que aceita o convite de presidir a Ancine. Ele permanece na direção do CBC até a realização do 4º congresso, o qual ocorre entre 14 e 18 de novembro, no Rio. Dahl participou, desde o ano passado, do processo de elaboração do projeto do Gedic (Grupo Executivo de Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica), que resultou no texto da medida provisória 2281-1 que regulamenta o cinema brasileiro, aprovada no último mês. Nos anos 80, Dahl foi presidente do Conselho Nacional de Cinema (Concine), no governo Sarney.A Ancine será responsável por executar a política nacional do cinema desenvolvida pelo governo brasileiro. Entre suas funções, está fiscalizar o cumprimento da legislação referente ao setor, combater a pirataria, regular as atividades de fomento, coordenar ações e atividades governamentais e estabelecer critérios para a aplícação dos recursos federais. O escritório central da Ancine, como já havia sido especificado na medida provisória, será no Rio de Janeiro.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2001 | 18h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.