Guilhermo Del Toro diz que concorrentes são ótimos

Como já se tornou tradicional, na sexta-feira que antecede a entrega do Oscar, os candidatos a melhor filme estrangeiro participam, no tapete vermelho diante do Kodak Theater, de uma entrevista coletiva. E, como no ano passado, em que boa parte dos jornalistas avançou sobre a equipe de Paradise Now, dessa vez o escolhido foi o mexicano Guillermo del Toro, diretor de O Labirinto do Fauno, que sorriu ao se ver cercado. ?Vocês acreditam que eu vá ganhar, não é? Pois sejam cautelosos pois essa é uma das mais disputadas categorias do Oscar?, brincou ele, lembrando ainda da surpreendente vitória do sul-africano Tsotsie. Del Toro disse ter assistido aos seus concorrentes e garantiu ter ficado impressionado. ?Não se trata de diplomacia: a enorme qualidade equipara todos os concorrentes; assim, até seria justo que houvesse mais de um vencedor?, disse o diretor mexicano, que estava acompanhado das belas atrizes Mirabel Verdu e Ivana Baquero, que interpretam mãe e filha no filme, além de Doug Jones, o fauno. Entre cotoveladas e empurrões (?vocês parecem gostar disso?, divertiu-se o diretor), Del Toro conversou com o Estado.Seus filmes têm um visual cativante. Como é seu processo de criação?Adoro pintura, especialmente a obra de Goya, um dos meus artistas preferidos. Foi em seu traço, em seu simbolismo, que me inspirei para criar as imagens de O Labirinto do Fauno.Como você explica o sucesso de seu filme?É por sua história. Embora seja uma fábula e seja ambientado no passado, durante a ditadura de Franco, o tema é atual: a luta da inocência, simbolizada pela menina Ofélia, contra a brutalidade, a violência. Ofélia é um símbolo contra a violência franquista e, de resto, contra a violência que domina nossos dias.A cerimônia do Oscar desse ano será marcada por uma inédita presença de profissionais de origem latina. O que acha disso?É sensacional. Comprova o alto nível, a competência, o grau de competitividade em que chegaram os profissionais latinos. Especialmente em meu país, há 13 anos ambicionamos por uma posição como essa, pois o talento é inegável. Finalmente, descobrimos uma boa conseqüência da globalização.Por falar nisso, quem seriam seus diretores preferidos?Tenho vários, pois gosto muito de cinema. Atualmente, fico muito admirado com o trabalho de Wong Kar-wai. É fascinante e intrigante.Quais são as reais chances de seu filme sair premiado no Oscar?Como já disse, a disputa é acirradíssima. Acho que temos boas chances em direção de fotografia e direção de arte?E o seu trabalho?Bom, isso é uma incógnita. Pelo menos, posso dizer que estou preparado para receber a estatueta, pois engordei o suficiente para entrar nesse paletó, que comprei há alguns meses (risos). Não fiquei elegante?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.