Guel Arraes adapta conto de Osman Lins para o cinema

O diretor pernambucano Guel Arraes vai levar a peça Lisbela e o Prisioneiro para o cinema até o fim do ano. Protagonizada pelo ator Selton Mello e pela atriz Virgínia Cavendish, mulher de Arraes, a peça é uma adaptação do conto de Osman Lins, escrito em 1961. Para o filme, o diretor promete o mesmo bom gosto e sutileza do estilo humorístico que garantiu o sucesso da peça em 2000. As principais alterações são técnicas e ficam por conta do som e do repertório musical.Como a história é ambientada no Nordeste, Selton e o diretor têm feito viagens semanais para a região. O primeiro passo será a gravação de um documentário em algumas cidades de Pernambuco. Não é a primeira vez que Guel aposta no sucessso do humor nordestino nos telões. Em 2000 o pernambucano fez sua estréia na direção de longa-metragens com uma adaptação de O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.