Divulgação
Divulgação

'Guardiões da Galáxia Vol. 2' será 'emocionante', garante James Gunn

"O primeiro filme foi a surpresa. Ninguém sabia direito o que esperar, nem eu, quando comecei a trabalhar, também sabia até onde chegaríamos. O sucesso relaxou todo mundo", disse o diretor

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

05 Dezembro 2016 | 06h00

Na quinta, 1.º, a palavra de ordem era – ‘Vai ser épico.’ Em apenas três anos, a Comic Con Experience consolidou-se como grande evento em São Paulo – 180 mil participantes, 120 mil metros quadrados, estandes gigantescos. No sábado e domingo, a palavra de ordem já mudara – ‘Viva o épico.’ Importantes atrações, nacionais e internacionais, passaram pelo prédio da São Paulo Expo, que aumentou de tamanho desde o ano passado, e isso, em certos horários de sábado, passou a impressão (enganosa) de que havia menos gente. No domingo, os corredores entupiram-se de gente – muitos, paramentados como seus super-heróis favoritos. A cultura geek é um sucesso.

Que o diga James Gunn, que veio ao Brasil – e à CCXP – para falar (e mostrar cenas) de Guardiões da Galáxia 2. Ao repórter, ele confessou – “Estamos aqui conversando, mas ainda tenho muito trabalho até a estreia, em abril”. Equipes espalhadas por todo o mundo trabalham 24 horas por dia na finalização dos efeitos. “Supervisiono tudo, é trabalho que não termina mais”, revela Gunn. Embora impedido, por contrato, de revelar detalhes da trama, ele anuncia – “O primeiro filme foi a surpresa. Ninguém sabia direito o que esperar, nem eu, quando comecei a trabalhar, também sabia até onde chegaríamos. O sucesso relaxou todo mundo. O um era a apresentação, o dois vai aprofundar essas figuras, seus afetos, as relações entre eles.”

Assim como Vin Diesel foi a grande atração da abertura da CCXP, no painel da Paramount que antecipou material de xXx– – Reativado – que estreia em 19 de janeiro –, Gunn foi o destaque de sábado, 3. Diesel tem 100 milhões de seguidores no Facebook. Gunn é o rei do Twitter. Impressionou-se com a quantidade de gente e disparou mensagens para todo o mundo. Interagia com o público de São Paulo. Pela manhã – a entrevista com Gunn foi feita no sábado à tarde e o painel, realizado à noite –, o repórter conversara pelo telefone, de Paris, com o grande documentarista Frederick Wiseman, que falou de seu grande afresco sobre a imigração de Em Jackson Heights, que deve estrear em seguida. Gunn fala de sua fantasia usando os mesmos termos de Wiseman – solidão, afeto, amizade. “Wiseman? É um de meus ídolos”, disse. Só que os personagens de Guardiões 2 são o aventureiro Quill, o guaxinim Rocky e o homídio, meio homem meio árvore, Groot. “O bom do cinema é que torna real esse universo fantasioso. Quando comecei a trabalhar no projeto, pensava – um guaxinim que fala? E como é a sua voz? Bradley (Copper) fez um trabalho maravilhoso.”

O diretor só tem elogios para seu elenco. “Chris (Pratt) superou toda expectativa. Ele tem o carisma dos grandes astros do passado – Clark Gable, Gary Cooper.” O repórter conta que, no encontro com Vin Diesel, o veloz e furioso falou com o maior entusiasmo de Groot. “E você vai ver. Ele tem grandes cenas.” Como Gunn define Guardiões 2, em uma palavra. “Uma só?” Ele pensa, e termina dizendo – “Heartbreaking, emocionante.” É o que você pode esperar do novo filme da saga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.