Andrew Kelly/ Reuters
Andrew Kelly/ Reuters

Grupo de artistas negros pede que Hollywood prove que 'Vidas Negras Importam'

Em carta aberta, atores e cineastas atacaram o 'legado da supremacia branca' na indústria

Jill Serjeant, Reuters

24 de junho de 2020 | 07h53

Mais de 300 atores e cineastas negros, incluindo Idris Elba, Queen Latifah e Billy Porter, pediram nesta terça-feira, 23, que Hollywood deixe de investir recursos na polícia dos Estados Unidos e invista em conteúdos antirracistas.

Uma carta aberta endereçada a “Nossos aliados em Hollywood” atacou o que chamou de um “legado da supremacia branca” na indústria, e disse que Hollywood “encoraja a epidemia de violência policial e a cultura antinegritude”. 

A carta, organizada pelo grupo Hollywood 4 Black Lives, foi escrita em meio ao processo de reconhecimento político e cultural sobre o racismo sistemático nos Estados Unidos e aos protestos em massa por conta de assassinatos de pessoas negras pela polícia. 

Demandas específicas pedem o fim da contratação de policiais nos sets de filmagem e pressão sobre as autoridades municipais de Los Angeles para reduzir o orçamento destinado à polícia.

A carta pede que a indústria de cinema e televisão “acabe com a glorificação intencional da brutalidade policial e da corrupção nas histórias contadas”, e que estúdios empreguem mais pessoas negras com poderes executivos, orçamentários e decisivos. 

Programas policiais que eram exibidos há décadas, como Cops e Live PD, foram cancelados no início deste mês. Várias celebridades, incluindo os apresentadores Jimmy Kimmel e Jimmy Fallon e a criadora da série 30 Rock Tina Fey, emitiram pedidos de desculpas públicos por terem feito “black face” no passado. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.