Gramado 2000 anuncia seleção de filmes

Havia muita gente, hoje de manhã, no Hotel Plaza San Raphael, o mais tradicional da capital gaúcha, para a coletiva de lançamento do 28.º Festival de Gramado - Cinema Latino e Brasileiro. Mas o tititi da imprensa ainda era a passagem de Vera Fischer pelo Estado. O furacão loiro de Laços de Família veio gravar cenas da novela de Manoel Carlos em Camaquã, no interior do RS. Havia mais jornalistas atrás dela do que do presidente Fernando Henrique Cardoso, quando visita as terras gaúchas. Grande Vera é uma coqueluche nacional. O anúncio de Gramado, embora oficial, ainda não foi o definitivo. Faltam alguns títulos a definir.O diretor do festival, Esdras Rubim, começou destacando as parcerias que tornaram mais viável este festival. O patrocínio é da Telefonica Celular, entre outras empresas. Estão bancando o orçamento de R$ 1,47 milhão do evento. Nove filmes longos vão participar da mostra competitiva principal, cujo presidente do júri será o cineasta Roberto Farias. Seis deles são latinos e três brasileiros, mas, por enquanto, estão selecionados somente cinco latinos e dois brasileiros.Os filmes estrangeiros, em Gramado, este ano, são: El Mismo Amor, la Misma Lluvia, de Juan Jose Campanella, da Argentina; Las Profecias de Amanda, de Pastor Vega, de Cuba; El Pianista, de Mario Gas, da Espanha; Santitos, de Alejandro Springall, do México; e Pantaleón e as Visitadoras de Francisco Lombardi, do Peru, baseado no romance homônimo de Mario Vargas Llosa. O sexto filme latino deveria ser Capitães de Abril, da portuguesa Maria de Medeiros, mas ela não autorizou a sua inscrição como concorrente. Quer quer seja exibido apenas fora de concurso. Capitães de Abril está confirmado na mostra paralela Premieres Gramadenses, mas a decisão de Maria criou um problema para a comissão organizadora do festival, que agora busca, correndo, um representante de Portugal. Do Brasil, estão confirmados na competição: Estorvo, de Ruy Guerra, que representou o Brasil no recente Festival de Cannes; e Quase nada, de Sérgio Rezende. Havia a expectativa de que Amélia de Ana Carolina, também participasse da competição, mas a diretora não quis saber. Gramado busca, agora, o terceiro representante do Brasil na mostra do 28.º festival.Hiron Goidanich, o Goida, um dos críticos mais conhecidos do Rio Grande do Sul, é quem preside a comissão e seleção de curtas e médias. Goida fez o anúncio oficial dos filmes que integram essas categorias. Foram inscritos 119 títulos, dos quais 116 foram apreciados pela comissão de seleção formada, entre outras, pelas jornalistas Maria do Rosário Caetano e Susana Schild, colaboradoras do jornal O Estado de São Paulo.Curtas - Foram selecionados 14 curtas em 35 mm. Entre eles, Conceição, de Heitor Dhalia e Renato Ciasca, produção de Pernambuco e São Paulo; Outros, de Gustavo Spolidoro, do Rio Grande do Sul; Retrato do Artista com um 38 na Mão, de Paulo Halm, do Rio; e Tepê, de José Eduardo Belmonte, de Brasília. Eu, Tu, Eles, de Andrucha Waddington, fora de competição, encerrará o festival.Mais 11 curtas foram selecionados na bitola de 16 mm, entre eles Retratos no Parque, de Evaldo Mocarzel, de São Paulo; Uma Nação de Gente, de Margarita Hernandes e Tibico Brasil, do Ceará; e O Vestido Dourado, de Aleques Eiterer, do Rio. A categoria médias, em 16 mm, estão, entre outros, Bubula, o Cara Vermelha, de Luiz Eduardo Jorge, de Goiás e Nóis Sofre, mas Nóis Goza, de Sandra Ribeiro, de Pernambuco. O júri de médias e curtas é formado, entre outros, pela diretora Ana Luísa Azevedo; pelos diretores Lírio Ferreira e Roberval Duarte e por Renata Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema, em São Paulo.Troféu - Em sua 11.ª edição, o Trófeu Oscarito/Movistar, que homenageia uma grande figura do cinema brasileira por sua contribuição à expressão artística no País, será entregue a Paulo José. O festival anuncia uma série de filmes do ator em película e em vídeo, para destacar a contribuição de Paulo desde os tempos de O Padre e a Moça e Todas as Mulheres do Mundo até seu trabalho na televisão, como diretor de minisséries.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.