Governo reserva apartamentos para astros mirins de 'Milionário'

Dias depois de os criadores de "Quem Quer Ser um Milionário?" terem anunciado que compraram um apartamento para um dos atores mirins do filme que teve sua casa na favela demolida, o ministro-chefe do Estado anunciou que reservou apartamentos para o ator e a atriz mirins do filme.

REUTERS

29 de maio de 2009 | 12h40

Azharuddin Ismail e Rubina Ali, cujas casas foram derrubadas pelas autoridades indianas porque tinham sido construídas ilegalmente, tiveram um apartamento reservado para cada um e poderão se mudar para eles em breve, segundo comunicado do gabinete do ministro-chefe divulgado nesta sexta-feira.

Destinados a famílias de baixa renda, os apartamentos ficam na periferia de Mumbai e custam cerca de 400 mil rúpias (8.500 dólares) cada. Eles serão pagos pelo gabinete do Partido do Congresso em Mumbai, segundo o comunicado do ministro-chefe Ashok Chavan.

"O chefe regional do Partido do Congresso disse que os dois atores mirins são talentosos, mas estão vivendo na favela e que, por isso, devem receber casas", disse o comunicado, citando palavras do ministro.

Fotos de Ismail e Ali em meio aos escombros de suas casas demolidas recentemente causaram ultraje em Mumbai, mais de metade de cujos 17 milhões de habitantes são sem-teto.

O diretor de "Milionário", Danny Boyle, e o produtor do filme, Christian Colson, viajaram a Mumbai esta semana e anunciaram a compra de um apartamento para Ismail.

Eles disseram que uma casa também seria encontrada para Rubina Ali pela fundação "Jai Ho", cujo nome é o da faixa musical do filme premiada com o Oscar. A fundação foi criada por Boyle e Colson para pagar pela educação e os custos de vida básicos de Ismail e Ali até completarem 18 anos.

O romance dirigido por Boyle sobre um rapaz indiano pobre que compete num programa de TV recebeu oito Oscar em fevereiro deste ano, mas foi criticado por romantizar a miséria e a vida nas favelas de Mumbai.

Não ficou claro de imediato se as famílias terão que optar entre os apartamentos oferecidos pela fundação e pelo Estado.

No mês passado, Boyle e Colson também doaram 500 mil libras a uma organização sem fins lucrativos para apoiar um programa de apoio a crianças em uma favela na região central de Mumbai, onde foi rodada boa parte do filme.

Tudo o que sabemos sobre:
FILMEMILIONARIOCASASASTROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.