'Gomorra' traz a máfia italiana às telas de Cannes

Longa do jovem diretor Matteo Garrone chega como um dos favoritos à Palma de Ouro no festival

Flávia Guerra, enviada especial,

08 de maio de 2018 | 09h28

Gomorra. Sodoma e Gomorra. Ou o modo como os napolitanos chamam uma das máfias mais sangrentas, e lucrativas, do mundo, mais conhecida como Camorra para os não especialistas no assunto. São os intestinos desta organização criminosa e fascinante que o filme do jovem diretor Matteo Garrone revela de forma seca, mas precisa. Gomorra chegou à Croisette como um dos favoritos à Palma de Ouro da 61ª edição do Festival de Cannes.   Veja também: Teste seus conhecimentos sobre o Festival de Cannes  Confira os filmes da competição principal em Cannes 2008   Acompanhe o evento pelo blog do Merten    Inspirado no genial best-seller de Roberto Saviano (que infelizmente ainda não foi lançado em português no Brasil), o filme tem chacoalhado a opinião publica italiana. Em tempos que os tons do neofascismo nunca estiveram tao em primeiro plano em uma Itália agora governada novamente pelo conservador Silvio Berlusconi e pela Liga Norte, Gomorra é um soco no estômago da hipocrisia de uma sociedade que esconde a sujeira social embaixo do tapete que cobre as passarelas glamourosas da indústria da moda, dos produtos de luxo.   A antiga tradição dos Don Vitto, Don Corleone, Don Carlo..., agrega-se neste novo milênio os mestres orientais da máfia chinesa. A guerra pelo mercado da falsificação e do contrabando adquire novas regras, novos idiomas e dialetos, novos soldados. Garotos que mal sabem pronunciar o italiano formal corretamente, e se esgueiram pelas frestas da parte esquecida da capital Nápoles entoando o belo dialeto napolitano, tornam-se marionetes nas mãos de capos feios, sujos e malvados, que não pensam duas vezes antes de atirar.   Garrone provocou mais silêncio que palmas com seu longo filme na manhã deste domingo, 18, durante a sessão para a imprensa. Mas confirmou seu favoritismo à Palma de Ouro. Se a arte é muito mais sintoma, e não previsão da realidade, Gomorra é um sintoma claro e preocupante. Qualquer semelhança com o abandono por que passa a juventude em grandes cidades do Brasil, e do mundo, infelizmente, não é mera coincidência.

Tudo o que sabemos sobre:
Festival de Cannes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.