GNT celebra vida de Visconti com documentário

Completam-se neste sábado 25 anos da morte do aristocrata milanês que fez sua opção ideológica pelo marxismo e criou alguns dos mais belos filmes do cinema, obras como Ossessione, um marco na eclosão do neo-realismo, Sedução da Carne, Rocco e Seus Irmãos, O Leopardo, Vagas Estrelas da Ursa e Violência e Paixão. Adepto do melodrama, o próprio Luchino Visconti dizia que o grande tema do seu cinema era o destino destroçado de personagens atropelados pelas mudanças históricas e sociais. E ele enfatizava - "Falo sempre dos Visconti de ontem e de hoje". Por seu perfeccionismo, pela obsessão em recriar épocas passadas de olho na beleza dos mínimos detalhes, muitos críticos dizem que ele era um autor decadente. Foi o narrador crítico da decadência e isso faz toda a diferença. Visconti recebe agora a homenagem do canal GNT, que exibe um documentário a ele dedicado. E, na Itália, diz, em entrevista ao Estado, a amiga e colaboradora Suso Cecchi D´Amico, roteirista de muitos de seus clássicos, sua memória está mais presente do que nunca.Grandes Nomes - Luchino Visconti - GNT, na tevê paga, ao meio-dia e às 17h, neste sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.