GNT apresenta "6 Histórias Brasileiras"

Muito já se fez para retratar a complexidade cultural do Brasil, mas nada que se compare ao encontro de três documentaristas com outros quatro conceituados jornalistas. O resultado de uma parceira tão singular recebeu o nome de 6 Histórias Brasileiras, série no ar a partir desta segunda-feira, no canal GNT (Net/Sky), prosseguindo até sábado, sempre às 23 horas. Os diretores João Moreira Salles, Arthur Fontes e Izabel Jaguaribe formaram duplas com Zuenir Ventura, Dorrit Harazim, Flávio Pinheiro e Marcos Sá Corrêa. Juntos, eles se aventuram pelos quatro cantos do País, radiografando histórias, personagens, curiosidades e aspectos que traçam um retrato fiel do que hoje é o povo brasileiro.A série estréia com A Família Braz. Toninho e Maria moram com seus quatro filhos em Brasilândia, distrito de 240 mil habitantes da periferia de São Paulo. Seus valores, dificuldades e esperanças foram registrados durante duas semanas, assim como a vida dos vizinhos, definindo um pouco mais o cidadão médio urbano.Na terça, Marcos Sá Correa e João Moreira Salles mostram a região do Vale do Paraíba. O local, que já foi um dos mais ricos do País devido às suas grandiosas fazendas de café, hoje apresenta outra realidade. As belezas naturais cederam à força das indústrias, deixando apenas na mente dos mais antigos moradores o que um dia já foi um cenário deslumbrante. A caminho do Piauí, Passageiros mostra o drama de milhares de migrantes que, com apenas a esperança no bolso, deixam a zona rural em busca de melhores condições na cidade. A bordo de um ônibus saindo de São Paulo rumo a Pedro II (Piauí), o programa conta a história de vários passageiros, como Marcelo, que há 17 anos abandonou o trabalho duro no garimpo de Boi Morto e arriscou vida nova em São Paulo. Hoje, saladeiro em um fino restaurante paulista, ele volta pela primeira vez à sua terra natal para visitar a mãe.Em Um Dia Qualquer, na quinta-feira, Zuenir Ventura preferiu contar sobre aqueles que usam o próprio corpo como instrumento de trabalho. Essa força é mostrada através de uma empregada doméstica, um motorista de ônibus, uma dançarina, um vendedor de abacaxis e outros que, munidos de uma dose extra de energia, enfrentam o trabalho duro diário. O modo de vida de cada um reflete visivelmente no jeito de andar, vestir, e de se relacionar com as pessoas e com o mundo. A religião é tratada no episódio Santa Cruz no ar, na sexta-feira. A força dos templos evangélicos é vista como uma maneira de ordenar o tumultuado cotidiano. O templo Casa de Oração Jesus é o General, fundada em 1999, no subúrbio carioca de Santa Cruz, traduz por meio dos testemunhos dos féis como uma doutrina rígida foi capaz de dar conforto espiritual e "transformar" a vida de muita gente pobre. A série se encerra com Ensaio Geral, no sábado, invadindo os bastidores de uma escola de samba no Rio de Janeiro. A importância do carnaval para os brasileiros e a vida dentro de uma tradicional escola é retratada no dia-a-dia da Mocidade Independente de Padre Miguel.O que para alguns significa apenas um show de cores, ritmos e mulheres bonitas, para muitos trata-se do sentido da vida, resumido em oito meses de árdua preparação que terminam em 85 minutos de desfile na avenida.O documentário 6 Histórias Brasileiras foi co-produzido pelo canal GNT e a VideoFilmes, de maio de 1999 a maio deste ano. Todos os episódios foram rodados em película 16mm.

Agencia Estado,

13 de agosto de 2000 | 15h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.