Globo usa Projac para fazer cinema

Está em produção, enfim, um filme brasileiro sem ajuda de leis de incentivo fiscal e/ou patrocínio de estatais. É Seus Problemas Acabaram, o novo longa-metragem da turma do Casseta & Planeta, que a Globo Filmes roda no Projac, bancando do próprio bolso. É o primeiro de uma série que a rede pretende fazer, para quem sabe, revolucionar o mercado de cinema no País. Em abril, será a vez do longa de A Grande Família, e se tudo der certo, outros programas e seriados globais terão o mesmo destino, como A Diarista, de Cláudia Rodrigues. Nessas duas primeiras experiências, a Globo Filmes terá como parceira a distribuidora Europa, além de patrocinadores diretos. "Estamos testando mais uma possibilidade de financiamento para os filmes nacionais, aliando recursos de infra-estrutura, administração e divulgação da produção da TV Globo, recursos próprios da distribuidora Europa Filmes para produção e lançamento, e recursos de patrocinadores que investirão em merchandising e exposição de suas marcas com recursos de seus orçamentos de marketing e promoções", detalha o diretor de Operações da Globo Filmes, Carlos Eduardo Rodrigues. Rodrigues explica que a Globo Filmes está "otimizando recursos". O set de filmagem é montado na própria central de produção da Globo em Jacarepaguá, o Projac. E como o programa já foi testado na TV, chega ao cinema com vantagem na batalha pela bilheteria. "Mesmo assim, dá muito medo, não é pouco, não", observa o diretor José Lavigne, há 15 anos no comando do Casseta & Planeta. "Temos de conseguir transportar o programa para o cinema, mas sem ser o programa propriamente dito. Senão, o espectador se pergunta ´por que eu paguei para ver esta porcaria, se eu já vejo o programa toda a terça-feira na TV?´."

Agencia Estado,

15 de fevereiro de 2006 | 17h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.