Gil nega que tenha enterrado a Ancinav

O ministro da Cultura, Gilberto Gil, negou hoje que o governo tenha "enterrado" o projeto que cria a Agência Nacional do Cinema e do Audiviosual (Ancinav) ao adiar o envio da proposta ao Congresso. "É o contrário, estamos desenterrando o projeto ao torná-lo mais público, trazendo todos os atores para discuti-lo", disse. Em entrevista no Palácio do Planalto, Gil salientou que não há prazo para a proposta ser enviada ao Legislativo. Na semana passada, o ministro decidiu adiar para 6 de novembro o prazo final de debate do projeto no Conselho Superior de Cinema. Nos últimos meses, o governo enfrentou críticas de setores culturais que classificaram a proposta da Ancinav de "autoritária" e "dirigista".A uma pergunta se a proposta ficará menos autoritária com as mudanças, Gilberto Gil respondeu que "qualquer coisa" torna-se menos autoritária quando discutida publicamente. Ele observou que, até o momento, foram feitas mais de 300 propostas de mudanças no texto, com a consulta pública. "Espero que sim (que o texto original seja bastante modificado), tomara que fique como eu quero."O ministro negou divergências no governo em relação à proposta de criação da Ancinav, especialmente atritos entre o Ministério da Cultura e a Secretaria de Comunicação, chefiada pelo ministro Luiz Gushiken. "Eu não tenho duelo com setor algum do governo, nem na questão da Ancinav, nem em outro tipo de proposta", disse. "O Ministério da Cultura não tem pelejas com o governo, ao contrário, é parte do governo, trabalha em sintonia."

Agencia Estado,

05 de outubro de 2004 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.