Gibson, Pikachu, Rússia e Los Angeles nas estréias de cinema

Quatro estréias nos cinemas de São Paulo neste fim de semana: Pokémon 2000 para a criançada; a superprodução O Patriota, com Mel Gibson; o russo O Ladrão; e a obra de Mika Kaurismaki - um finlandês que mora no Rio - chamada Absolutamente Los Angeles.Mel Gibson é a grande promessa de bilheterias no período. Embora esteja perdendo a disputa de estréias na temporada americana do filme Mar em Fúria, estrelado por George Clooney, a dramaticidade cativante de herói libertário vivida pelos últimos personagens de Gibson ainda é arrebatadora por aqui. A prova foi o público aplaudindo as pré-estréias do filme em São Paulo do começo ao fim.A história passa-se durante a guerra da independência dos EUA. Com roteiro de Robert Rodat, vencedor do Oscar por O Resgate do Soldado Ryan, O Patriota narra o nascimento de uma nação com som, fúria, tiros e pancadaria como o público de Mel Gibson gosta. Quando começa, Gibson, em nome da unidade de sua família, coloca-se contra o alistamento de voluntários para combater os colonizadores ingleses. Ele perde um filho, a casa. Pega em armas e vai combater o inimigo. Torna-se um dos líderes da guerra de guerrilhas que os americanos movem contra os colonizadores.Em Pokémon 2000 Ash, Pikachu e os demais pokémons estão de volta. Desta vez combatem o vilão que se apropria da fera do mar para tentar destruir a vida da Terra. A ecologia dá o tom dos combates, mas a trama do desenho baseia-se no fato de que Ash, na realidade, defronta-se com um problema que não sabe resolver. A salvação está numa pessoa especial, com dons únicos, e com cinco anos de idade. Mika Kaurismaki, diretor de Absolutamente Los Angeles, é um diretor finlandês que se tornou conhecido no Brasil por meio da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. Além disso, Mika já é meio brasileiro por adoção, uma vez que há dois meses inaugurou um restaurante, no Rio. O filme é simpático, senão realmente bom. Baseado no livro de Richard Rayner, Los Angeles without a Map, é a história do dono de uma funerária em Bradford. Logo no começo, o personagem interpretado por David Tennant está no cemitério. Tem a visão de uma mulher deslumbrante - Vinessa Shaw. Ela vive em Los Angeles e Richard, o protagonista, não pensa duas vezes - larga tudo, até a noiva, para encontrar-se com a sua Barbara em L.A.Em O Ladrão, do russo Pavel Chukhrai, o aparente chavão da história de uma criança que está à procura do pai é, na realidade, a negação desse preconceito inicial. Se de fato o filme (indicado para o Oscar de filme estrangeiro, ganhador do Felix e de três troféus em Veneza) centra-se na discussão da figura paterna, o faz sem nenhuma concessão melodramática. Ao contrário, a história é ambientada no duro pós-guerra da então União Soviética e é narrada em off, por um personagem que recorda sua infância, passada naquele tempo. Um filme denso, com imagens comoventes e ambientação bastante realista.

Agencia Estado,

21 de julho de 2000 | 00h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.