George Clooney prevê mudanças em sua carreira no futuro

George Clooney calcula que dentrode dez anos as pessoas estarão tão cansadas de vê-lo no cinemaque ele poderá desistir de boa parte de sua carreira de ator. Mas não pense que ele, protagonista de muitos blockbustersem uma carreira que já dura 20 anos, esteja se preparando paradeixar Hollywood. O que Clooney vem fazendo, cada vez mais, édirigir. Ele conta que tem tido mais sucesso do que jamais sonhou,tendo recentemente estrelado o indicado ao Oscar "Conduta deRisco" e a comédia sobre futebol americano "Leatherheads", queele também dirigiu e que estréia nos EUA na sexta-feira. "Dentro de dez anos, imagino que as pessoas estarão fartasde ver muitos de nós que hoje trabalham diante das câmeras",disse Clooney à Reuters. "Minha esperança é que eu possa dirigir mais. É essa minhameta." "Leatherheads", co-estrelado por Renee Zellweger, é oterceiro filme de Clooney como diretor, depois de "Confissõesde Uma Mente Perigosa" e "Boa Noite e Boa Sorte". Clooney disse que pode em breve começar a trabalhar numquarto filme como diretor. Intitulado provisoriamente"Suburbicon", o filme foi escrito pelos irmãos Joel e EthanCoen, premiados por "Onde os Fracos Não Têm Vez". Foi há dez anos que ele primeiro leu o roteiro de"Leatherheads". Na época, Clooney era popular por seu trabalhoem "ER" ("Plantão Médico"), mas tinha feito dois filmes malrecebidos pela crítica: "Batman & Robin" e "O Pacificador". Sua virada profissional se deu em 1998, com sua atuação em"Irresistível Paixão", dirigido por Steven Soderbergh. Em "Leatherheads", ambientado mais ou menos em 1925,Clooney faz Dodge Connelly, um astro envelhecido do futebolamericano cuja beleza e charme o ajudam a seduzir mulheres, masnão ajudam seu time a manter boa posição financeira. Ele e um jogador mais jovem, representado por JohnKrasinski, se apaixonam pela mesma jornalista (ReneeZellweger), mas apenas um deles poderá ganhar no jogo do amor. Depois de atuar no drama "Syriana", sobre petróleo epolítica, e no sério "Conduta de Risco", Clooney, o ator, achouque já era hora de trabalhar num filme que fosse divertido. E Clooney, o diretor, depois de comprovar sua habilidadecom filmes sérios, queria mostrar que também é capaz de fazeruma comédia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.