Clay Enos/Warner Bros
Clay Enos/Warner Bros

Gal Gadot confirma que 'Mulher-Maravilha 1984' estreará nos cinemas e no HBO Max no Natal

'Filme é especial para mim e só espero que seja tão especial para vocês também', afirmou a atriz em suas redes sociais

Reuters, Redação

19 de novembro de 2020 | 08h08

Protagonizado por Gal Gadot, o filme Mulher-Maravilha 1984 vai estrear nos cinemas e no serviço de streaming HBO Max, da AT&T, no dia de Natal. A estreia foi adiada várias vezes devido à pandemia de coronavírus.

A confirmação da notícia veio junto com a comemoração, via rede social, da atriz Gal Gadot, onde afirma estar muito ansiosa por saber que o filme vai estrear.A diretora Patty Jenkins usou sua conta no Twitter para também afirmar que o filme chegará no dia 25 de dezembro: 'Mal posso esperar para que o mundo veja essa mulher incrível na tela'. 

 

"ESTÁ NA HORA. Todos nós esperamos muito tempo para chegasse. Eu não consigo dizer o quão animada estou para todos vocês verem este filme. Não foi uma decisão fácil e nunca pensamos que teríamos que segurar o lançamento por tanto tempo, mas a covid abalou todos os nossos mundos. Sentimos que o filme nunca foi tão relevante e esperamos que ele traga alegria, esperança e amor aos seus corações. Mulher Maravilha 1984 é especial para mim e só espero que seja tão especial para vocês também. Colocamos nossos corações e almas nisso.Então ... você pode assistir nos cinemas (eles estão fazendo um trabalho incrível ao mantê-los seguros) e também pode no HBOMAX de suas casas. Enviando amor para vocês. Por favor, mantenha-se seguros e usem uma máscara. Boas festas a todos nós! Deixe a luz brilhar." Gal Gadot

 

Mulher Maravilha 1984

Dirigido por Patty Jenkins, Mulher Marvilha 1984 coloca a heroína Diana tendo de encarar novos inimigos da humanindade, Maxwell Lord e Mulher-Leopardo, dois vilões interpretados por Pedro Pascal e Kristen Wiig. 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.