Funarte promove mostra de curtas dos anos 90

A Fundação Nacional da Arte (Funarte, vinculada ao Ministério da Cultura) está convocando diretores, roteiristas, atores e cinéfilos em geral para ajudar na organização da mostra itinerante Os 30 Curtas da Década de 90. Até o nome é provisório, e está sujeito à alterações conforme as sugestões que podem ser enviadas pelos interessados em participar. Também se pode escolher o formato dos catálogos e até mesmo a programação do festival, indicando quais seriam os 30 curtas que marcaram os anos 90, época caracterizada pelo curador Jota Júnior como "a década do curta". No site da entidade há uma grande lista, para quem precisar de uma orientação na hora de lembrar dos curtas-metragens que se destacaram nos últimos dez anos. Figuram nela nomes como A Revolta dos Carnudos (1991), de Eliane Fonseca, Novela (1992), de Otto Guerra; Cartão Vermelho (1994), de Laís Bodansky; Deus ex. Machina (1995), de Carlos Gerbase; Almoço Executivo (1996), de Marina Person e Jorge E. Santo; Simião Martiniano - o Camelô do Cinema (1998), de Hilton Lacerda e Clara Angélica; Deus é Pai (1999), de Allan Sieber; e Outros, de Gustavo Spolidoro, entre muitos outros. É bom lembrar que a mostra deverá se dedicar a curtas filmados exclusivamente em película 35 milímetros. A mostra deve começar no segundo trimestre desse ano, com início no Rio de Janeiro, passando por São Paulo, Brasília, chegando a outras capitais do País no decorrer do ano. Como participar - Através de e-mail, no site da Funarte; ou enviar carta aos cuidados do curador Jota Júnior, para o Departamento de Cinema e Vídeo - Decine/CTAv - Os 30 Curtas da Década de 90. Endereço: avenida Brasil 2.482, Cep 20.930-040, Benfica, Rio de Janeiro; ou pelo fax (21)580-6147. Cartas, fax e e-mails devem conter as seguintes informações: nome, profissão, sugestão de título para a mostra, sugestão de frase resumindo a década do curta, sugestão dos 30 curtas da década.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.