Apple TV
Apple TV

Filmes que são a salvação dos pais durante isolamento social; confira

Todos ajudam na tarefa de divertir crianças, adolescentes e até adultos

Mariane Morisawa, especial para o Estadão 

29 de março de 2021 | 05h00

Arrumar o que fazer com as crianças durante a pandemia é um desafio e tanto para pais e familiares, ainda mais com o atual descontrole que levou a cidade de São Paulo a antecipar feriados. Faça sua parte e fique em casa. Não vão faltar atrações – algumas até de graça, como a série Cuide-se com a Peanuts, com vídeos curtos educativos em português, disponíveis no YouTube, acompanhados de atividades para baixar para crianças de duas faixas etárias (no site, sob a aba Activities, dá para escolher “Brazilian Portuguese”). Veja algumas das atrações fresquinhas:

The Snoopy Show. A amizade de Snoopy e Woodstock, criados por Charles M. Schulz para suas tirinhas, agora ganha uma série só sua – com participação especial dos outros personagens da turma, como Charlie Brown, Lucy, Lino e Patty Pimentinha. “Meu marido pôs tudo de sua vida, da infância à fase adulta, naquelas tirinhas”, disse Jean Schulz, viúva do quadrinista e presidente do museu dedicado a ele, em entrevista ao Estadão

Jean Schulz recorda que, para além da sensibilidade e inspiração em sua própria vida, Charlie M. Schulz era um grande estudioso. “Para fazer uma tirinha com patinação, ele registrou e estudou os movimentos de um patinador olímpico.” Mas, no fim, o segredo para criar personagens tão eternos foi um só. “Eles são realistas, têm falhas, mas também traços que reconhecemos e admiramos. Os personagens representam a humanidade.” O próprio criador de Peanuts costumava dizer que gostaria de ter um amigo como Charlie Brown, um menino comum com um coração generoso. Mas, para Jean Schulz, todos nos dão uma grande lição: têm capacidade de perdoar as falhas dos amigos e sempre estão lá para apoiá-los. “Charlie Brown e Snoopy, Snoopy e Woodstock, Lino e Charlie Brown, Lucy e Lino, todos têm suas separações, mas acabam unidos no final.”

Onde ver: Apple TV+. Faixa etária: a partir de 4 anos. Tente se sua criança gostar de: Tigrão e Pooh, Turma da Mônica. Assista depois: Waffles + Mochi (Netflix), Snoopy no Espaço (Apple TV+)

Assista ao trailer:

PJ Masks. Os pequenos Connor, Amaya e Greg são crianças normais durante o dia. Mas, à noite, transformam-se em Menino Gato, Lagartixo e Corujita e combatem vilões. Na 4.ª temporada, no ar no Disney Junior, eles contam com a ajuda de Newton Star, que ama livros e protege o espaço. “Nós nos inspiramos no público para criar novos episódios”, explicou Olivier Dumont, presidente de Entertainment Family Brand da eOne e um dos produtores executivos, em entrevista ao Estadão. “As histórias são fantasiosas, mas sempre baseadas na realidade.” Por exemplo, nesta 4.ª temporada um dos novos vilões é o Pharaoh Boy, que tem um quê de megalomaníaco e emerge de um portal dentro do museu. “O Egito é fascinante para as crianças, então escolhemos esse tema.”

Por causa da concorrência com redes sociais e principalmente YouTube, os produtores também pensaram em outros tipos de conteúdo, como jogos e vídeos de caracterização. Outras temporadas também podem ser vistas na Netflix e TV Cultura

Onde ver: Disney Junior. Faixa etária: 3 a 8 anos. Tente se sua criança gostar de: Patrulha Canina. Assista depois: Kamp Koral: SpongeBob’s Under Years (Paramount+), Vampirina (Disney+)

Assista ao tralier:

Upside Down Magic – Escola de Magia. Elinor (Izabela Rose), mais conhecida como Nory, e Reina (Siena Agudong) são melhores amigas. As duas garotas de 13 anos descobrem ter poderes mágicos – a primeira consegue se transformar em animais, e a segunda controla o fogo. Elas ficam animadas de ir para a Academia Sage, onde vão aprender a desenvolver suas habilidades, mas, chegando lá, são separadas. Com seus instáveis talentos, Elinor acaba no grupo dos que têm “magia de cabeça para baixo”. “O filme tem uma mensagem ótima sobre o poder das amizades verdadeiras, da identidade própria e conhecer seu valor”, disse Rose em entrevista coletiva com a participação do Estadão. “Muitas pessoas estão separadas dos amigos neste momento de pandemia, mas sempre há maneiras de manter o apoio aos amigos.” Mesmo separadas, Nory e Reina tentam se manter conectadas. “Acho poderoso ver a maneira que uma sempre checa como a outra está”, disse Agudong. 

Onde ver: sábado, 3, às 20h, no Disney Channel, e a qualquer hora no Disney+. Faixa etária: 8 a 14 anos. Tente se sua criança e pré-adolescente gostar de: Harry Potter, Descendentes. Assista depois: Fada Madrinha (Disney+).

Assista ao trailer:

Flora e Ulisses. Produção para toda a família da Disney é baseada no livro de Kate DiCamillo, fala de Flora (Matilda Lawler), uma menina de 10 anos inteligente e esperta, apaixonada por quadrinhos. Seu pai George (Ben Schwartz) é um autor fracassado e se separou da mãe de Flora, Phyllis (Alyson Hannigan), com quem a menina tem uma relação difícil. Entra um esquilo com superpoderes, Ulisses. “Foi um desafio interpretar com um animal que não estava lá, até porque a Flora tem uma relação tão especial com Ulisses”, contou Matilda Lawler em entrevista ao Estadão

Ben Schwartz acha que o filme é perfeito para a quarentena. “É algo para tirar a cabeça das pessoas dos problemas, colocá-las num espaço de felicidade, fazê-las dormir melhor”, disse o ator. “Dá muita felicidade tentar fazer as pessoas rirem neste momento especialmente.” A atriz Alyson Hannigan, conhecida por Buffy, a Caça-vampiros e How I Met Your Mother, concordou. “Eu acho que é tudo de que as famílias precisam agora”, afirmou. “O filme é cheio de esperança, e parece bobagem, mas é algo bem profundo nesta época que estamos passando. Espero que as pessoas tenham esperança de dias melhores.” Onde ver: Disney+. Faixa etária: a partir dos 8 anos. Tente se sua criança gostar de: Bolt, Como Treinar Seu Dragão, O Pequeno Stuart Little. Assista depois: Pequenos Grandes Heróis (Netflix), Dia do Sim (Disney+).

Assista ao trailer:

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.