Filmes políticos são vitoriosos no Festival de Berlim

Os dois filmes mais abertamentepolíticos que participaram da competição do Festival de Cinemade Berlim este ano levaram os prêmios principais, surpreendendoalguns críticos que questionaram suas mensagens e seus métodos. O ganhador do Urso de Ouro de melhor filme foi "Tropa deElite", de José Padilha, retrato ultraviolento de um batalhãode policiais de elite brasileiros que recorrem à corrupção,tortura e métodos ainda piores na luta contra os chefes dotráfico nas favelas do Rio. O segundo colocado, que recebeu o grande prêmio do júri,foi o documentarista premiado com o Oscar Errol Morris por"Standard Operating Procedure", um estudo do que deu errado nopresídio de Abu Ghraib, no Iraque, onde soldados americanoscometerem abusos contra presos. A escolha do vencedor dividiu os críticos. Enquanto alguns elogiaram "Tropa de Elite", descrevendo-ocomo história contundente e ágil das concessões morais feitaspela polícia para sobreviver, outros disseram que o filmeglorifica seus métodos frequentemente brutais. Um crítico odescreveu como "filme de recrutamento de criminosos fascistas". Padilha defendeu seu filme, que já é grande sucesso depúblico no Brasil, dizendo que retrata os fatos como realmentesão. Durante o festival, ele argumentou que a única maneira dequebrar o ciclo de criminalidade ligado às drogas élegalizá-las. "O filme mostra como o Estado transforma a polícia ou empoliciais corruptos ou em policiais que não querem fazer nada,ou em policiais violentos", disse Padilha na noite de sábado,após a premiação. "Tropa de Elite" é o mais recente de uma série de filmesbrasileiros aclamados que ressaltam o lado sombrio do Rio, apóso indicado ao Oscar "Cidade de Deus" sobre gangues numa favelacarioca. A Weinstein Company comprou os direitos de "Tropa de Elite"antes mesmo de o filme ser rodado, baseada unicamente noroteiro. OLHAR PONDERADO SOBRE ABU GHRAIB "Standard Operating Procedure" é uma análise ponderada doque deu errado em Abu Ghraib. "Como mostra o filme, as pessoas que foram de fatocondenadas e estão presas em conexão com Abu Ghraib não são asúnicas envolvidas nisso", disse Morris. Embora não seja tão polêmico quanto "Tropa de Elite", ofilme tampouco agradou a alguns espectadores, para os quaisofereceu poucos insights novos sobre os abusos e deixou de ladoa questão mais ampla de como o escândalo que cercou osacontecimentos prejudicou o prestígio dos Estados Unidos. Foram mais populares os prêmios Urso de Prata de melhordiretor, ator e atriz. O prêmio de direção foi dado a Paul Thomas Anderson por"Sangue Negro", protagonizado por Daniel Day-Lewis no papel deexplorador petrolífero resoluto e ganancioso nos EUA no iníciodo século 20. Embora muitos críticos tenham considerado o filme o melhorda competição, o fato de já estar em cartaz nos EUA e de terrecebido oito indicações ao Oscar pode tê-lo prejudicado emBerlim. O troféu de melhor ator ficou com o iraniano Reza Naji por"The Song of Sparrows", filme que mostra como o idílio rural deum homem é ameaçado pelas tentações materiais que a cidadegrande põe em seu caminho. Confirmando as previsões dos críticos, a britânica SallyHawkins recebeu o Urso de Ouro de melhor atriz pelo retrato deuma professora contagiantemente otimista em "Happy-Go-Lucky". O prêmio de melhor roteiro foi dado ao chinês WangXiaoshuai, que escreveu e dirigiu "In Love We Trust", sobre umcasal divorciado que recorre a medidas drásticas para tentarsalvar sua filha doente. Outros destaques de Berlim incluíram "Shine a Light", deMartin Scorsese, sobre os Rolling Stones. Mas a muitoantecipada estréia de Madonna como diretora, "Filth & Wisdom",decepcionou muitos críticos, que o consideraram tão ruim quantoas piores performances dela diante das câmeras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.