Filmes para gostos variados entram em cartaz

Além da estréia de Pelé Eterno, documentário sobre o rei do futebol, o fim de semana tem outros três lançamentos, muito diferentes entre si: a história de um homem do interior que se transforma ao ir para a cidade grande, em Do Outro Lado da Lei; a batida história dos rivais que se apaixonam, em Leis da Atração; e uma velhinha que atrapalha os planos de uma quadrilha, em Matadores de Velhinhas, remake do clássico de 1955 O Quinteto da Morte.Do Outro Lado da Lei é dirigido pelo talentoso argentino Pablo Trapero. O título pode dar a idéia que se trata de um filme talvez de ação, um policial barato, mas o enredo é o seguinte: Zapa (Jorge Román) trabalha como chaveiro na pequena cidade onde mora. Um dia faz um servicinho à margem da lei para o seu patrão e dança. Vai para a prisão, de onde é tirado por um parente protetor. Vai para Buenos Aires, tendo como única alternativa servir na corrupta polícia da capital. Encontrará uma vida que não conhecia e à qual deve se adaptar. Torna-se amante de uma colega de trabalho e acaba por adotar a "ética" da corporação. Há mais que uma história sobre os bastidores da polícia. Trapero, procura falar um pouco da sociedade argentina em seu conjunto. Por um lado, temos a Argentina rural, que pouco costumamos ver na tela. A das pequenas cidades, comunidades onde todos se conhecem e portanto controles e conivências se fazem com maior facilidade. Trapero é um dos diretores da nova geração argentina que têm se destacado por sua linguagem direta sem ser superficial. Quem filma mais ou menos desse jeito, no Brasil, é Beto Brant de Os Matadores. Rivalidade - Por outro lado, Leis da Atração, com Pierce Brosnan, o atual 007, e Julianne Moore nos papéis principais apresenta uma história já tão batida no cinema de Hollywood quanto o final feliz. Ele é Daniel Rafferty, advogado especialista em divórcios que nunca perdeu uma causa, mas usa métodos nem sempre de acordo com a lei. Ela é Audrey Woods, outra brilhante advogada, que jamais sentiu o cheiro do fracasso e sempre caminha dentro da lei. Ambos cuidam - cada um de um lado - do caso do roqueiro Throne (Michael Sheen) e da estilista Serena (Parker Posey), casal que está se separando e disputa um castelo na Irlanda. E advinha o que acontece? Os advogados rivais se apaixonam. Os dois visitam o castelo, saem à noite, bebem demais e acabam dormindo juntos. Por causa do deslize, fingem ser casados para não bancarem os idiotas em frente aos colegas, embora continuem rivais. Remake - Há quase 10 anos longe das comédias, Tom Hanks volta ao cinema em Matadores de Velhinha, refilmagem do clássico de 1955 O Quinteto da Morte. Mas, em vez da fria Londres dos anos 50, os irmãos Joel e Ethan Coen, de Fargo - Uma Comédia de Erros, optaram por passar a história no sul dos Estados Unidos e trocaram a velhinha inglesa branca por uma rechonchuda negra religiosa, que fala com o falecido marido o tempo inteiro e passa o dia tricotando. Hanks é Goldthwait Higginson Dorr, professor universitário charlatão que reúne uma quadrilha para empreender o que eles acham ser o roubo da história. Os ladrões são especialistas em escavação de túneis e têm como missão se infiltrar na casa da Irma P. Hall (Marva Munson), sob o pretexto de precisarem de um local para praticar música sacra, para fazer o buraco e assim chegar a um cassino flutuante localizado ao lado da casa dela. Mas há um pequeno problema que eles subestimaram: a velhinha é esperta e ameaça denunciar o quinteto à polícia. Os ladrões, então, decidem liquidá-la, mas isso não vai ser fácil como eles pensam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.