Filmes de guerra invadem os cinemas americanos

Uma série de filmes de guerra feitos antes dos ataques terroristas de 11 de setembro do ano passado chegam agora às telas dos Estados Unidos, aproveitando a onda patriótica que tomou conta do país. Os filmes mostram que Hollywood decidiu rever conceitos como honra, amizade, heroísmo e sacrifício. Os temas bélicos aparecem nas fitas Black Hawk own, Behind Enemy Lines e Hart?s War, além de duas produções que ainda não estrearam: We Were Soldiers e Windtakers."Esses garotos foram lá com ideais, orgulho e desejo de estar na vanguarda de liberdades que a maioria de nós dá como conquistadas", disse Mel Gibson, que em We Were Soldiers interpreta o tenente Hal Moore, comandante da primeira grande batalha do exército americano no Vietnã. "Mas assim que chegaram ali se encontraram encurralados... Basicamente, a luta foi para salvar seus companheiros de armas", afirmou Gibson.Na década de 80 e nos primeiros anos da década seguinte, a temática militar era vista com indiferença pelo público. O grande filme de guerra dos anos 80 - Platoon - retratava os soldados americanos no Vietnã como viciados em drogas, hipócritas e assassinos de inocentes. "Os anos 80 e 90 foram uma época bastante frívola, em que os americanos estavam mais preocupados com oscilações da bolsa de valores do que com assuntos políticos ou ameaças militares", diz Randall Wallace, diretor de We Were Soldiers.Em meados dos anos 90, as celebrações do 50º aniversário da invasão aliada na Normandia, o famoso "Dia D", suscitaram homenagens aos veteranos de guerra. As figuras que participaram da guerra foram incensadas em numerosos livros e no cinema, com O Resgate do Soldado Ryan, de Steven Spielberg."O 11 de setembro nos recordou que há maldade no mundo", disse Randall Wallace. "E também que fazem falta virtudes com dever, honra e sacrifício". Diferente de outros filmes sobre o Vietnã, We Were Soldiers mostra uma brigada de soldados muito unidos, com um comandante com atitudes paternais. Os soldados do filme são valentes, honrados e leais, e mostram-se dispostos a se sacrificar e até morrer por seus companheiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.