Filmes de Audrey Hepburn saem em DVD

A Universal lançou em DVD um pacote com quatro dos melhores filmes da atriz Audrey Hepburn. Os títulos são de deixar os cinéfilos com água na boca: Sabrina, de Billy Wilder, Cinderela em Paris, de Stanley Donen, Bonequinha de Luxo, de Blake Edwards, e Quando Paris Alucina, de Richard Quine. Tirando este último, é difícil escolher o melhor. Sem dúvida o mais famoso é Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany´s, 1961). É seu papel mais glamuroso, que lhe valeu uma indicação ao Oscar e o status de ícone da elegância. Ela faz uma sofisticada garota de programa com alma de criança, que se envolve com George Peppard. Um filme sentimental e triste (baseado em texto de Truman Capote), com Audrey inesquecível cantando Moon River, de Henry Mancini, canção que ganhou Oscar. Igualmente importante, Sabrina (1964), é uma comédia sentimental com Audrey no papel da filha do motorista de uma mansão, que recebeu uma educação sofisticada na Europa e, na volta, é disputada por dois irmãos, um certinho (Humphrey Bogart) e um playboy (Willian Holden). Já Cinderela em Paris, de Stanley Donnen, é um delicioso musical baseado em sucesso na Broadway, de George Gershwin. Fred Astaire (que fez o personagem na Broadway) é um fotógrafo de moda encarregado de encontrar caras novas que acaba se envolvendo com Audrey. Mas ela se torna uma top model. Entre as canções famosas, vale citar S´ Wonderful, How Long Has This Been Going On e He Loves and She Loves. O mais fraco do pacote é Quando Paris Alucina, que repete a dupla romântica de Sabrina. Willian Holden é um roteirista de cinema pressionado a entregar o trabalho em dois dias. O problema é que ele mal começou e pede ajuda à sua secretária (Audrey). Obviamente, os dois se apaixonam. Audrey nasceu em 1929 na Bélgica, filha de uma baronesa alemã e um banqueiro inglês. Tinha seis anos quando o pai abandonou a família. Aos 10 morava na Holanda quando o país foi invadido pelos nazistas e sofreu bastante, principalmente com a desnutrição. Sua silhueta esguia é atribuída a esses anos de fome. Mesmo assim, começou a estudar balé, revelando um talento natural. Em pouco tempo, foi convidada a dançar em um filme holandês e, a partir daí, sua carreira não parou mais. Do pacote da Universal, pode-se lamentar a ausência de clássicos como Charada, ou Um Caminho Para Dois, mas é preciso reconhecer a importância de lançamentos como esses por disponibilizarem obras importantes que, há anos, andavam fora de catálogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.