DarylWein/Sundance Institute
DarylWein/Sundance Institute

Filmes apocalípticos rodados durante a pandemia estreiam em Sundance

Em 'How It Ends', Liza se dispõe a confrontar aqueles que a magoaram, enquanto se dirige a uma festa do fim do mundo

AFP, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2021 | 22h10

Um filme de terror sobre um vírus e uma comédia sobre o último dia na Terra - ambos concebidos, filmados e editados durante a pandemia - deram um toque apocalíptico ao festival de Sundance, celebrado online por causa do coronavírus.

Em comentários após as estreias "virtuais" destes filmes na sexta-feira no renomado festival independente, os criadores dos dois filmes descreveram como canalizaram o tédio e a ansiedade de forma criativa ao encontrar rapidamente formas de filmar de forma com segurança durante longos confinamentos.

"Tive um episódio quase histérico cerca de uma semana depois de iniciado o confinamento.... Precisava me acalmar e uma parte desse processo foi tentar escrever", contou Ben Wheatley, diretor de In The Earth.

O filme dele foi a primeira produção rodada no Reino Unido após o confinamento inicial de março e é ambientada em uma remota floresta inglesa, onde cientistas fazem experimentos misteriosos enquanto um vírus arrasa as cidades.

"Houve muita pressão sobre nós... Todos os protocolos eram totalmente novos naquele momento", disse Wheatley.

E embora a covid-19 não esteja no centro da trama, serve como contexto essencial do que acontece.

Wheatley disse, durante uma sessão de perguntas e respostas online, que o distanciamento social e os confinamentos fizeram com que até mesmo filmes recém-concluídos pareçam como se fossem "de outra época".

"Você se senta para ver um filme e tem essas cenas com multidões ou onde todas as suas preocupações eram preocupações de dois anos atrás", disse.

"Acho que especialmente os filmes de terror, mas todos em geral, devem refletir o momento atual", assegurou.

Filme caseiro

Enquanto isso, a comédia How It Ends imagina a cidade de Los Angeles no dia em que se espera que um asteroide acabe com o planeta.

No filme, Liza (interpretada pela codiretora Zoe Lister-Jones) se dispõe a confrontar aqueles que a magoaram, enquanto se dirige a uma festa do fim do mundo.

Concebido nas primeiras semanas do confinamento na Califórnia e rodado durante o verão no hemisfério norte, o filme foi gravado principalmente em ambientes externos: nas ruas, jardins e piscinas permanentemente ensolarados da cidade.

Os diretores se apressaram a concluir e lançar o filme "enquanto continuamos lutando com este campo minado emocional", disse Lister-Jones, descrevendo todo o processo como terapêutico.

Helen Hunt, Bradley Whitford e Olivia Wilde estão entre os famosos que conversam à distância com a jovem durante sua "busca existencial", em cenas que muitas vezes foram filmadas em frente às casas reais destes atores.

Na sexta-feira também estreou em Sundance o 'thriller' brasileiro "A Nuvem Rosa" (The Pink Cloud), no qual um casal de desconhecidos é obrigado a conviver indefinidamente, quando uma nuvem tóxica se espalha pelo planeta, tornando o ar exterior mortal.

O filme, com direção e roteiro de Iuli Gerbase, é uma história inquietantemente profética, pois foi escrito e filmado um ano antes da pandemia.

Por causa da covid-19, o festival de Sundance, que usualmente é celebrado todo inverno boreal nas montanhas de Utah, passou ao formato online e os 72 filmes deste ano fazem sua estreia por streaming.

A versão reduzida do festival durará até 13 de fevereiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Sundancecinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.