Filme traz Beatles em trilha e agrada público em Roma

'Across the Universe' também está na programação da 31.ª Mostra de Cinema de SP

Flávia Guerra,

07 Outubro 2025 | 12h20

'Este filme fala muito da época de medo e guerras injustas que vivemos. Não fala só de uma época especial do mundo, mas também de muita coisa que acontece hoje debaixo dos nossos narizes', disse a diretora norte-americana Julie Taymor nesta quinta-feira, 25, logo após a exibição de seu Across The Universe no Festival de Cinema de Roma, onde o filme integra a seção Première.   Veja também:  Especial 31.ª Mostra Internacional de Cinema de SP    Este é o segundo filme de Taymor que atrai a opinião pública. Seu longa-metragem anterior, Frida, foi bem, mas não muito.   A julgar pela recepção que teve hoje em Roma, Across the Universe, que traz em sua trilha canções dos Beatles em releituras mais que deliciosas, promete ter uma carreira muito melhor. O filme conta a história de Jude (Jim Sturgess), um jovem inglês que vive em Liverpool, que um dia decide atravessar o oceano para encontrar nos Estados Unidos o pai que nunca conheceu. Lá, encontra muito mais. Conhece Lucy (Evan Rachel Wood) e um universo colorido e controverso. Jude entra para a trupe dos que lutam pelo fim da Guerra no Vietna, pela liberação dos costumes e apregoam fervorosamente o lema 'Faça Amor Não Faça Guerra'.   'Quando filmamos as cenas de passeata pelas ruas de Nova York era para ser uma passeata falsa, mas o clima de indignação que as pessoas sentiam no ar, muito pelo ridículo de conflitos que ainda vivemos, como a ocupação do Iraque pelos EUA, tomou conta de todos. Não só os atores mas os moradores da cidade acabaram protestando de verdade', conta Taymor. 'O filme é otimista. Fala da fé que devemos ter em um futuro mais colorido, mais musical, mais feliz. Mas o protesto que ele também contem é ainda, infelizmente, atual e contundente', completou ela, que fez questão que cada canção a integrar a trilha não fosse só meramente ilustrativa, mas também acrescentasse algo ao roteiro. 'Isso foi muito importante. Era muito fácil que a platéia saísse cantando All You Need is Love ou Hey Jude, mas eu queria que estes clássicos fizessem também diferença na historia do filme', contou a diretora, que nasceu em 1952 e disse ter vivido intensamente os coloridos anos de ouro do rock e da beatlemania. 'Eles vão ser sempre atuais. suas letras falam de temas que não mudam. E falam de coisas que todos sentimos. Não importa se somos britânicos, americanos, italianos ou brasileiros.'   A trilha de Across The Universe, só para citar algumas, inclui, claro, Hey Jude, Lucy in the Sky, Because, Strawberry Fields, Come Together, entre outros hits inesquecíveis do quarteto de Liverpool. No Brasil, o filme integra a programação da Mostra de Cinema de São Paulo (confira a programação) e estréia no circuito comercial em sete de dezembro.   A repórter viajou a convite do Festival.

Mais conteúdo sobre:
Beatles Across the Universe

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.