Filme sobre vôo seqüestrado em 11/9 gera polêmica

Muitas polêmicas nos Estados Unidos pela estréia na televisão do filme Flight 93 (Vôo 93), sobre a história do vôo da companhia aérea United Airlines seqüestrado por terroristas no dia 11 de setembro de 2001 e derrubado em um bosque na Pensilvânia devido à rebelião dos passageiros. A emissora norte-americana A&E, que transmite hoje à noite o filme, é acusada de aproveitamento comercial de uma tragédia. Sobre o caso do vôo 93 já foram dedicados dois documentários e um outro filme televisivo, "The Fligth that fought Back", do canal Discovery. O avião que decolou do aeroporto de Newark seguia para Washington, mas o seqüestro e a sucessiva rebelião dos passageiros acabaram com a queda do avião em um bosque em Shankville, no estado da Pensilvânia.O filme "Fligth 93" é baseado nos inúmeros telefonemas feitos durante o seqüestro pelos passageiros aos seus familiares. Mas os roteiristas certamente recorreram à criatividade para algumas seqüências cruciais da história, como o desesperado ataque final dos passageiros contra os terroristas fechados na cabine de comando, utilizando um carrinho de metal para refeições como arma. Os críticos reconhecem que o diretor Peter Markle tratou com delicadeza e respeito o caso. Nos créditos finais há uma homenagem aos 44 passageiros a bordo do avião. Mas permanece, devido ao fato que o filme será transmitido com os normais intervalos comerciais, o sentimento de aproveitamento comercial da tragédia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.