Focus Features
Focus Features

Filme sobre 'cura gay' com Nicole Kidman tem lançamento cancelado no Brasil

'Boy Erased: Uma Verdade Anulada' foi retirado da programação da distribuidora Universal por 'questão comercial', segundo a empresa; pessoas ligadas à produção nos EUA atribuem censura à temática do filme

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

03 de fevereiro de 2019 | 17h11

O drama Boy Erased: Uma Verdade Anulada tinha estreia anunciada no Brasil para o dia 31 de janeiro pela Universal Pictures. A empresa, porém, cancelou o lançamento e deve divulgar o filme no País apenas para home video. A decisão pegou mal e o próprio Garrard Conley, ativista cujo livro inspirou o filme, falou em "censura". A empresa alega que a decisão foi tomada "única e exclusivamente por uma questão comercial baseada no custo de campanha de lançamento versus estimativa de bilheteria".

Baseado no livro de memórias do ativista americano e dirigido por Joel Edgerton, o longa foi indicado para o Globo de Ouro nas categorias melhor ator de drama, pela atuação de Lucas Hedges, e melhor música para filmes (e acabou não levando nenhum dos dois, e também não levou nenhuma das esperadas indicações ao Oscar). Russel Crowe e Nicole Kidman completam o elenco.

A trama conta a história do jovem gay Jared Eamons (Hedges), filho de Marshall Eamons (Crowe), pastor de uma cidade conservadora do Arkansas, e da religiosa Nancy Eamons (Kidman). Segundo sinopse divulgada pela própria Universal, em dezembro de 2018, "quando confrontado pela família sobre sua sexualidade, (o personagem) se vê pressionado a escolher entre perder seus familiares e amigos ou se submeter a um programa de terapia que busca a 'cura' da homossexualidade". 

Garrard Conley — cujo livro Boy Erased foi lançado agora no Brasil pela editora Intrínseca — se mostrou descontente nas redes sociais com o ocorrido. "Boy Erased censurado no Brasil. Sentia que isso poderia acontecer e é muito triste que esse tipo de coisa esteja acontecendo num país tão maravilhoso", escreveu.

 


Outro ativista americano, Mathew Shurka, que trabalhou como consultor no filme, também manifestou sua preocupação. "Estou preocupado que a Universal Pictures Brasil esteja cancelando filmes LGBT no Brasil por conta do governo atual", disse no Twitter.

 


Via assessoria de imprensa, a Universal explicou que outro filme, Bem-vindos a Marwen, previsto para este ano, também não será lançado pelo mesmo motivo (questões comerciais de custos e previsão de bilheteria).

Boy Erased arrecadou US$ 7,928,149 entre novembro de 2018 e 6 de janeiro de 2019, segundo o IMDB, valor relativamente baixo para filmes com estrelas desse calibre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.