Filme russo leva Leão de Ouro em Veneza

O filme russo O Retorno foi o grande vencedor do Leão de Ouro do 60.º Festival de Cinema de Veneza. O longa, dirigido por Andrei Zvjagintsev, era mesmo tido como um dos favoritos. Ainda assim, foi notória a decepção da platéia italiana, que esperava a vitória de um dos candidatos da casa, o também execelente Buongiorno, Notte, de Marco Bellocchio, que acabou ficando apenas com um prêmio de consolação - foi lembrado com uma estatueta pela "contribuição individual de particular relevo". Bellocchio nem ficou em Veneza para esperar a premiação, e voltou para sua casa em Roma. A decepção do público foi compensada pela emoção, quando o diretor russo subiu ao palco para receber seu troféu e o dedicou a um dos intérpretes do filme, o adolescente Konstantin Lavronenko, que havia morrido pouco tempo depois de terminada a filmagem. Zvjagintsev levou para casa também o troféu reservado aos diretores estreantes. O júri, presidido pelo cineasta italiano Mario Monicelli, surpreendeu ao conceder o troféu de melhor diretor ao japonês Takeshi Kitano, pelo longa Zatoichi, o preferido do público. E não deixa de ser original o Leão de Prata, troféu do Prêmio Especial do Júri, para o libanês Le Cerf-Volant, de Randa Chahal Sabbag. Bastante aplaudido foi Sean Penn, que ganhou a Coppa Volpi de melhor ator por seu trabalho em 21 Gramas, de Alejandro González Iñarritu. Penn subiu ao palco e disse que, apesar de não estar bêbado naquele momento, não sabia o que pensar. A Coppa Volpi feminina ficou com Katia Rieman, por Rosenstrasse, de Margarethe von Trotta. Como atriz estreante, Najat Benssalem, atriz de Raja, de Jacques Doillon, ganhou o Prêmio Marcello Mastroianni. No concurso secundário, chamado de Contracorrente, o melhor filme, distinguido com o Prêmio San Marco, foi Vodka Lemmon, do curdo Hinner Sallen. O Prêmio Especial do Júri ficou com Michael Schoorr por Schultze Gets the Blues. A melhor atriz foi Scarlett Johansson por Lost in Translation, de Sopia Coppola, a filha de Francis Ford Coppola. Asano Tadanobu foi considerado melhor ator por Last Life in the Universe, de Pen-ek Ratanarung. O argentino Daniel Rosenfeld ganhou uma menção especial do júri da seção Contracorrente por seu filme La Quimera de los Heroes. Não se pode contestar o prêmio principal. Afinal de contas, O Retorno já era cotado para o Leão desde o dia em que foi apresentado. No entanto, è estranho que trabalhos da qualidade de Filme Falado, de Manoel de Oliveira, e Bun San, de Tsai Ming Liang, tenham saído de mãos abanando. Além dessa premiação em parte contestável, a cerimônia também deixou a desejar. Protagonizada pelo apresentador de TV Piero Chiambretti, que a todo tempo queria parecer engraçadinho, e pelo diretor do festival, Moritz de Hadeln, visivelmente embaraçado, reservou alguns momentos constrangedores para a platéia do Palácio dos Festivais. Numa delas, Chiambretti, ao apresentar a venerável condessa Maria Cicogna lembrou da frase de Gianni Agnelli segundo a qual a condessa era "o único homem de quem tenho medo". Depois de esgotar seu repertório de anedotas, Chiambretti perguntou ao presidente do júri, o veteraníssimo Mario Monicelli, diretor de O Incrível Exército de Brancaleone, como ele gostaria de ser lembrado no futuro. Monicelli, do alto dos seus 88 anos, pensou um pouco e fulminou: "Gostaria de ser lembrando como alguém que não levava a sério cerimônias como estas". Confira a lista dos ganhadores do 60.º Festival de Cinema de Veneza: Competição principal: Leão de Ouro - O Retorno (Vozvraschenie) de Andrey Zvyagintsev Grande Prêmio do Júri - A Pipa (Le Cerf-volant) de Randa Chahal Sabbag Pêmio especial de direção, Leão de Prata - Takeshi Kitano por Zatoichi Contribuição individual notável - Marco Bellocchio por Buongiorno, Notte Melhor ator - Sean Penn em 21 Grams Melhor atriz - Katja Riemann em Rosenstrasse Revelação - Najat Bessalem em Raja Competição paralela: Prêmio San Marco de melhor filme - Vodka Lemon de Hiner Saleem Prêmio especial de direção - Michael Schorr por Schultze Gets the Blues Prêmio alternativo para melhor ator - Asano Tadanobu em Last Life in the Universe Prêmio alternativo de melhor atriz - Scarlett Johansson em Lost in Translation Prêmio Luigi De Laurentiis: O Retorno ("Vozvraschenie")

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.