Filme reconstitui trajetória de Cazuza

Se pudesse opinar, Cazuza certamente aprovaria a escolha de Marieta Severo para interpretar o papel de sua mãe, Lucinha Araújo, no filme Para Não Dizer que Te Amo, que a Globo Filmes irá produzir no ano que vem. "Ela é mais parecida com você do que suas irmãs", costumava dizer ele à mãe. "Mas não conte isso a Marieta que ela pode se ofender (Lucinha tem dez anos a mais que a atriz)."Lucinha também aprova o nome de Marieta para o papel - a atriz é a primeira opção da Globo Filmes. "Eles tinham uma relação próxima. Cazuza era muito amigo de suas filhas." Mas como para Marieta nada é oficial - a atriz diz que ainda não recebeu nenhum convite -, ela prefere não falar sobre o assunto.O filme será baseado no livro Só As Mães São Felizes, escrito pela jornalista Regina Echeverria a partir de depoimentos da mãe de Cazuza, e publicado com sucesso em 1997 - já está na 12.ª edição e vendeu cerca de 22 mil exemplares. Nele são contados os "segredos de liquidificador" da vida particular do cantor, desde sua infância até os anos de sucesso.O roteiro está sendo escrito por Sandra Werneck e Paulo Halm, parceiro da cineasta em O Pequeno Dicionário Amoroso e Amores Possíveis. "Por enquanto estamos em fase de pesquisa", diz a diretora, que deverá entregar o roteiro em dezembro. Só então a Globo Filmes e a diretora pensarão no elenco. "Tudo depende muito do rumo que o roteiro tomará", explica Sandra, que também não exclui a possibilidade de Marieta ficar com o papel.Pensar em Marieta para interpretar Lucinha não foi difícil, tendo em vista a semelhança física entre as duas. Mas encontrar um ator-cantor para fazer o papel de Cazuza será, sim, uma missão trabalhosa. Nenhum nome foi cogitado ainda, mas, segundo a Globo Filmes, a primeira idéia seria a escolha de um ator anônimo. "A produtora acredita que a memória de Cazuza ainda está muito viva na cabeça das pessoas, por isso será uma escolha complicada", explica Lucinha. "E eu concordo."A semelhança física mais uma vez será levada em consideração. "É claro que será a primeira coisa a avaliarmos, mas caso não dê, não há nada que a maquiagem não possa consertar", conta uma produtora da Globo Filmes. A primeira idéia de levar para as telas a história de Cazuza foi do cineasta Luiz Carlos Barreto, que conheceu o músico ainda menino. Roberto Talma também fez essa proposta à família. Mas como o clã de Cazuza é diretamente ligado à empresa de Roberto Marinho - João Araújo, pai do músico, é diretor da gravadora Som Livre e o livro de Lucinha foi lançado pela Editora Globo -, a família preferiu esperar.Até que em agosto do ano passado, Lucinha presenteou a amiga Cláudia Quaresma (diretora-executiva da Globo Filmes) com um exemplar de seu livro. "Ela o leu em pouquíssimo tempo e logo veio com a sugestão do filme", conta Lucinha, que, com o aval do marido, aceitou a proposta. O contrato foi fechado em maio deste ano e a história de Cazuza está agora nas mãos de Daniel Filho, diretor-geral da Globo Filmes, e de Sandra Werneck.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.