Filme póstumo de Heath Ledger estreia em Cannes

Papel do ator em 'Imaginarium of Doctor Parnassus' com completado por Johnny Depp, Colin Farrell e Jude Law

Efe e Reuters,

22 de maio de 2009 | 09h30

  O último filme do ator australiano Heath Ledger, uma interpretação póstuma que trata entre outros temas da imortalidade, estreou nesta sexta-feira, 22, em Cannes. Fora da competição, Terry Gilliam assina o filme que talvez será uma das maiores atrações do festival, "The Imaginarium of Doctor Parnassus". Ledger, que morreu em janeiro de 2008 de overdose acidental, não chegou a concluir as filmagens e seu papel foi completado por Johnny Depp, Colin Farrell e Jude Law.

 

Veja também:

blog  Acompanhe a cobertura de Cannes no Blog do Merten

 

O diretor destacou a "valentia e a generosidade" dos três atores por interpretarem o personagem de Legder. The Imaginarium of Doctor Parnassus, um gênero fantástico, narra a história de uma companhia de teatro andarilha que, por causa de um pacto com o diabo, oferece a seu público a oportunidade de atravessar um espelho mágico para explorar suas imaginações e expô-las em uma nova dimensão.

 

O diretor Terry Gilliam brinca com Lily Cole, Verne Troyer e Andrew Garfield, do e lenco do filme.

Foto: Reuters

 

Depp, Law e Farrell encarnaram Tony, um misterioso artista que se une ao grupo de teatro e que sofre transformações físicas ao ter acesso ao mundo paralelo através do espelho. Cada um dos atores assumirá o papel de Tony em uma de suas várias encarnações ou transformações físicas. A mutação de Ledger em Depp, depois em Law e finalmente em Farrell funciona magicamente como consequência do uso do elemento espelho que é decisivo na ação e não pela contribuição de uma manipulação com técnicas digitais, o que dá continuidade à história.

 

Cena de Ledger no longa que é exibido em Cannes. Foto: AP

 

Heath Legder, que ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante por sua interpretação como o Coringa em Batman - O cavaleiro das trevas, morreu no dia 22 de janeiro, aos 28 anos, em seu apartamento de Nova York por uma overdose acidental de calmantes e pílulas para dormir. O acidente ocorreu justamente antes de começarem a gravar estas cenas do filme em Londres.

 

"A escolha que fiz foi de acabar o filme", afirmou o diretor aos repórteres sobre a opção de usar os três atores para concluir o filme. "Não poderia ver como nós terminaríamos o longa sem o Heath porque estávamos no meio da produção". "Comecei chamado amigos - Johnny Depp, e ele disse 'estou dentro'. E basicamente convidei pessoas que eu sabia que amavam Heath".

 

"Todos trabalharam muito e durante mais tempo porque gostavam dele", disse Gilliam, revelando que a família do ator falecido, que encorajou a continuar o projeto apesar da morte de Ledger, ainda não viu o trabalho póstumo do ator, que ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante por Batman - O Cavaleiro das Trevas semanas depois morrer.

Tudo o que sabemos sobre:
Cannes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.