Itsuo Inouye/AP
Itsuo Inouye/AP

Filme israelense vence prêmio principal do festival de Tóquio

Intimate Grammar, de Nir Bergman, recebeu o prêmio Sakura Grand Prix

Reuters

01 de novembro de 2010 | 12h42

Um filme israelense sobre um menino dos anos 1960 que para de crescer durante três anos venceu o prêmio mais importante do 23º Festival Internacional de Cinema de Tóquio, dando ao diretor Nir Bergman o principal troféu do evento pela segunda vez.

Intimate Grammar, que recebeu o prêmio Sakura Grand Prix, foi escolhido entre 15 competidores de 80 países e regiões e conta a história de Aaron, filho de um sobrevivente do Holocausto que busca o refinamento na arte em meio a uma sociedade cada vez mais militante.

Bergman se tornou o primeiro diretor a vencer o prêmio Sakura duas vezes. A primeira vez foi em 2002 pelo filme Asas Partidas.

Numa entrevista coletiva na semana passada, Bergman disse que o filme foi baseado em um romance israelense chamado Book of Intimate Grammar, de David Grossman, que lhe "deu um choque emocional como se estivesse lendo sobre sua própria vida".

"Eu amei tanto os personagens e pensei que mereciam estar na tela", disse ele, segundo os organizadores do festival.

O prêmio de melhor diretor foi para Gilles Paquet-Brenner por Sarah's Key, um filme francês sobre o destino de uma família judia na 2ª Guerra Mundial. O filme também venceu o prêmio de favorito do público.

"Muito obrigado! Agora posso pagar meus impostos", disse Paquet-Brenner no sábado, quando os prêmios foram anunciados.

Kaneto Shindo, um diretor japonês de 98 anos, venceu o prêmio especial do júri por Post Card, sobre o impacto da 2ª Guerra nos moradores de uma comunidade rural japonesa.

Recebendo o prêmio em uma cadeira de rodas, Shindo usou a ocasião para anunciar sua aposentadoria, dizendo: "Espero com todo o coração que todos vocês se saiam bem e façam bons filmes".

Fan Bingbing ganhou o prêmio de melhor atriz por seu papel em Buddha Mountain, uma co-produção entre China e Taiwan dirigida por Li Yu que também recebeu o prêmio de melhor contribuição artística. (Reportagem de Elaine Lies)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.