Filme iraquiano concorre em Cannes pela primeira vez

Kilometre Zero, o primeiro filme iraquiano a competir no Festival de Cannes, foi dirigido por Hiner Saleem, um curdo que mora na França e voltou a sua pátria para filmar o longa depois da derrubada de Saddam Hussein.O filme, que se passa nos anos 1980 durante a guerra entre Irã e Iraque, tem como enredo a história de um curdo e de um árabe que recebem a encomenda de levar o corpo de um soldado morto no conflito para a família dele.A obra mostra a opressão, com freqüência brutal, a que foi submetido o povo curdo durante o governo de Saddam.Para conseguir fazer o filme, o diretor teve que resolver muitos problemas. "Um deles foi encontrar uma câmera", disse Saleem hoje. "No país inteiro não achei nenhuma". Filmado no norte do Iraque, o filme está dominado por cenas de guerra e destruição, mais inclui momentos de humor negro. Um dos personagens diz uma frase que, segundo Saleem, era uma das preferidas de seu avô: "Nosso passado é triste e nosso futuro é trágico, por isso agradecemos a Deus por não termos futuro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.